Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de NY fecham em baixa, avaliando payroll e Fed



03/12/2021 | 18:12


As bolsas de Nova York fecharam em baixa nesta sexta-feira, em dia de divulgação do payroll (dado de emprego) nos Estados Unidos. Em um primeiro momento, o número de vagas abaixo do esperado estimulou os mercados que interpretaram como uma possível prorrogação dos estímulos pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). Porém, ao longo do dia, outros sinais do relatório foram levados em conta. Pressionando os índices estiveram as incertezas com relação à listagem de ações chinesas, em dia no qual a Didi anunciou sua saída de Nova York, e empresas americanas, como a Tesla, temem possíveis restrições de seus negócios em território chinês.

No fechamento, o Dow Jones caiu 0,17%, a 34.580,08 pontos, o S&P 500 recuou 0,85%, a 4.538,43 pontos, e o Nasdaq teve perda de 1,92%, a 15.085,47 pontos. Na semana, houve queda de 0,91%, 1,22% e 2,62%, respectivamente.

Apesar da criação decepcionante de 210 mil empregos nos EUA, quando a estimativa era de abertura de 573 mil vagas, o payroll de novembro mostrou sinais positivos em outras partes do relatório, segundo o Commerzbank. O banco alemão destaca a revisão de alta de 82 mil vagas no dado de outubro, "o que sugere que o número do mês passado pode ter sido maior", e o aumento no número de horas trabalhadas, indicando dificuldade das empresas em contratar.

"As ações caíram depois de um relatório de emprego fraco e os traders permanecem em alerta sobre a incerteza com a variante Ômicron", aponta Edward Moya, analista da Oanda, que projeta que as próximas semanas permanecerão voláteis, visto que o foco recai sobre o relatório de inflação, a reunião do Fed de 15 de dezembro e mais clareza sobre o impacto com a Ômicron. O quadro pandêmico pesou mais uma vez em aéreas, com a American Airlines caindo 4,59%.

Na visão do Rabobank, "a corrida de EUA e China para impedir as listagens offshore de empresas chinesas continua acelerada - com Didi assumindo a liderança em um retorno para Hong Kong". O banco lembra que Pequim está alertando empresas americanas ligadas à China de que elas não podem "fazer fortuna em silêncio", com o vice-ministro das Relações Exteriores Xie Feng dizendo-lhes para empurrar a Casa Branca em direção a uma política chinesa "racional" e acabar com os conflitos "ideológicos".

Neste cenário, as ações da Didi em Nova York despencaram 22,18%, e as da Tencent caíram 4,79%. Com negócios avançando nos últimos meses na China, a Tesla teve queda de 6,72%. Destaque ainda para a Nvidia, que caiu 4,46% com uma potencial proibição da compra por US$ 40 bilhões da designer de chips Arm, em virtude de temores por competição nos EUA.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;