Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Indústria acumula perda de 3,7% em 5 meses de quedas consecutivas, diz IBGE



03/12/2021 | 10:48


A queda de 0,6% na produção industrial em outubro ante setembro fez o setor acumular uma perda de 3,7% em cinco meses de recuos consecutivos, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A última vez que a indústria mostrou uma sequência negativa tão longa foi em 2015, de fevereiro a julho, com perda acumulada na ocasião de 6,7%, contou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.

Dos dez primeiros meses de 2021, a indústria cresceu em apenas dois deles: janeiro (0,2%) e maio (1,2%).

Com o desempenho negativo de outubro, a indústria opera atualmente em patamar 4,1% inferior ao de fevereiro de 2020, no pré-pandemia.

Quando ainda crescia, em janeiro, a indústria alcançou um saldo positivo de 3,7% em relação ao pré-covid.

Em outubro, a produção industrial estava 20,2% abaixo do patamar recorde alcançado em maio de 2011. O nível atual de produção é semelhante ao de dezembro de 2008, apontou André Macedo.

"Mês a mês o setor vem perdendo intensidade, diminuindo seu patamar de produção", frisou Macedo.

Revisões

O IBGE revisou o resultado da produção industrial em setembro ante agosto, de queda de 0,4% para baixa de 0,6%. A taxa de agosto ante julho saiu de queda de 0,7% para recuo de 0,8%, a de julho ante junho passou de baixa de 1,2% para queda de 1,4%, a de junho ante maio saiu de recuo de 0,5% para baixa de 0,3%.

O resultado dos bens de capital em setembro ante agosto foi revisto de queda de 1,6% para baixa de 1,1%.

Na categoria de bens intermediários, a taxa de setembro ante agosto foi revista de recuo de 0,1% para queda de 0,2%.

O resultado de bens de consumo duráveis em setembro ante agosto passou de queda de 0,2% para recuo de 0,6%.

Nos bens de consumo semiduráveis e não duráveis, a taxa de setembro ante agosto saiu de alta de 0,2% para baixa de 0,2%.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;