Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Pacheco aumenta pressão por Refis



01/12/2021 | 17:00


O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), voltou a pedir ontem apoio de empresários para pressionar a Câmara a aprovar o projeto do Refis, que pode perdoar até R$ 60 bilhões em dívidas tributárias.

Na reunião com empresários, Pacheco defendeu também a aprovação do projeto que prorroga a desoneração da folha de pagamento de 17 setores que mais empregam no País. A prorrogação do benefício já passou pela Câmara e está à espera do aval do Senado. O projeto estende a desoneração, que acabaria em 2021, por mais dois anos.

Nas últimas semanas, o presidente do Senado vem conduzindo essa articulação junto aos empresários interessados no projeto do Refis, que é de sua autoria e foi aprovado pelo Senado no início de agosto. Para ele, é importante que o Refis seja aprovado ainda este ano.

Na Câmara, porém, o projeto acabou parado à espera da aprovação, pelo Senado, do projeto de reforma do Imposto de Renda, que também foi para a geladeira. Pacheco já descartou a aprovação do IR em 2021 e disse que o Refis é mais importante para o atual momento econômico do País.

Precatórios

Como o Estadão mostrou ontem, o projeto do novo Refis acabou se transformando em moeda de troca nos bastidores para a votação da PEC dos Precatórios - que foi aprovada ontem na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e deverá passar hoje por novo teste, agora no plenário, com novos ajustes do texto pelo relator, senador Fernando Bezerra (MDB-PE).

A PEC, que posterga o pagamento de dívidas judiciais e altera as regras do teto de gastos, abre espaço fiscal no Orçamento de 2022 para bancar o pagamento de R$ 400 por meio do Auxílio Brasil.

Líder do governo no Senado, Bezerra foi também o relator do projeto do Refis na Casa. Na Câmara, o tema é relatado pelo presidente nacional do Progressistas, deputado André Fufuca (MA), aliado do presidente da Casa, Arthur Lira (Progressistas-AL). Lira, que patrocinou a PEC dos Precatórios, está segurando a votação do Refis até aprovação pelos senadores da PEC.

Se a Câmara fizer mudanças no projeto do Refis, o texto terá de voltar ao Senado, mas há uma estratégia de Lira de fazer uma manobra regimental para apensar o texto a outro projeto que tramita na Câmara e que trata também de um novo Refis, como revelou o Estadão. Nesse caso, a Câmara daria a palavra final.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;