Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas da Europa fecham em alta, com menor cautela por Ômicron



01/12/2021 | 15:06


As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quarta-feira, em alguns casos com avanços superiores a 2%, em sessão marcada pela recuperação de parte das perdas ocasionadas pelos temores com a variante Ômicron do coronavírus. O tema vem sendo o principal elemento para os mercados, e, mais uma vez, ações de setores mais sujeitos ao cenário pandêmico e restrições de mobilidade, como petroleiras e aéreas, foram destaque. Assim, o índice pan-europeu Stoxx600 avançou 1,71%, a 470,86 pontos.

Para Michael Hewson, analista chefe de mercado da CMC Markets, há uma série de razões para o tom mais positivo, sendo uma delas as garantias do fundador e CEO da BioNTech, Ugur Sahin, de que as vacinas atuais ainda fornecerão uma defesa decente contra a nova variante, mesmo que não sejam tão eficazes. Além disso, Hewson aponta para comentários da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicando que novas vacinas são desnecessárias e que as infecções até agora têm sido leves, reforçando a narrativa mais positiva.

"Colocando as preocupações sobre a Ômicron de lado, os mercados também conseguiram ignorar a mudança inesperada de terça-feira do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, de que a autoridade estava tentando mudar seu foco de volta para a parte da inflação de seu mandato, e que seria prudente começar acelerando as discussões sobre uma redução mais rápida das compras de ativos", aponta Hewson.

O analista lembra que os índices experimentaram ganhos a despeito das preocupações com o atual quadro da doença, que em alguns casos, como o alemão, levam novas restrições a serem cogitadas.

Em Frankfurt, o Deutsch Bank subiu 2,69%, e a Lufthansa avançou 5,07%, em dia de recuperação para as aéreas. Os resultados ajudaram o DAX a ter o maior ganho entre os principais índices, subindo 2,47%, a 15.472,67 pontos. Entre os indicadores no país, houve quedas das vendas no varejo e do índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial alemães.

Já os PMIs de manufatura da zona do euro e do Reino Unido subiram. Em Londres, o FTSE 100 avançou 1,55%, a 7.168,68 pontos. British Petroleum (+2,29%) e Royal Dutch Shell (+1,90%) estiveram entre os destaques. Também acompanhando a alta no barril de petróleo, a Total avançou 3,26% em Paris, e impulsionou partes dos ganhos de 2,39% do CAC 40, aos 6.881,87 pontos.

Em Milão, a Eni teve alta de 2,25%, ajudando o FTSE MIB a subir 2,16%, a 26.371,92 pontos. Enquanto isso, o Ibex 35 subiu 1,78% em Madri, a 8.452,60 pontos.

Em Lisboa, o PSI 20 subiu 0,75%, a 5.473,89 pontos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;