Fechar
Publicidade

Sábado, 29 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Filiação de Bolsonaro agrada PL na região

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Vice-prefeito de Santo André e prefeito de Ribeirão Pires reagiram bem à vinda do novo correligionário


Arthur Gandini
Do Diário do Grande ABC

01/12/2021 | 00:15


O presidente Jair Bolsonaro se filiou ontem ao PL (Partido Liberal) após dois anos sem vínculo com uma legenda. O objetivo foi obter tempo de propaganda partidária no rádio e na televisão, assim como palanques estaduais que auxiliem a sua candidatura à reeleição no ano que vem. Bolsonaro deixou o PSL (Partido Social Liberal) em novembro de 2019 após disputa sobre o controle do fundo partidiário e de diretórios da sigla. Na nova legenda, o acordo costurado deve conceder ao presidente a influência pretendida. E as duas lideranças do PL atuantes no Poder Executivo do Grande ABC foram bem receptivas à chegada do novo correligionário.

“Vejo (a vinda do presidente Jair Bolsonaro) de forma positiva. A chegada dele ao PL fortalece a imagem do partido nas esferas municipal, estadual e nacional. Vejo essa movimentação com bons olhos”, declarou o vice-prefeito de Santo André, Luiz Zacarias, que também se filiou ao partido em agosto deste ano, depois de passar dez anos no PTB.

Já o prefeito de Ribeirão Pires, Clovis Volpi, afirmou que a chegada de Bolsonaro é bem-vinda. “Tanto eu quanto (outros) integrantes do PL somos todos partidários e muito próximos do presidente nacional (do PL) Valdemar Costa Neto. A decisão foi partidária pelo diretório nacional, depois (pelo diretório) estadual e nós aqui não temos que fazer absolutamente nenhuma contestação. Vamos cumprir as determinações do partido”, ressaltou.

O PL foi aliado do PT durante o Governo Lula (2003-2010). O empresário José Alencar, falecido em 2011, ocupou a cadeira de vice-presidente pelo PL no primeiro mandato petista no governo federal. Já Valdemar Costa Neto é conhecido por ter se envolvido no escândalo do Mensalão. Os dois partidos ainda mantêm alianças regionais em Estados do Norte e do Nordeste, como no Amazonas e no Piauí. A proximidade com fileiras petistas dificultou as negociações para a entrada de Bolsonaro no PL.
O Diário questionou Volpi se há lideranças no partido que têm realizado a “contestação” por ele citada. O prefeito ressaltou que a sigla está unida em torno do novo filiado. “Foi muito boa a vinda do presidente para que o partido possa crescer na bancada estadual, na bancada federal, no Senado, colocando pela primeira vez um presidente com o nosso partido”, comemorou.

DEBANDADA

A expectativa do PL é de que figuras políticas apoiadoras de Bolsonaro sigam o seu movimento e ingressem também no partido. Uma delas é o vereador de São Bernardo Paulo Chuchu (PRTB). Ele aguarda um sinal do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), que tem bancado a sua pré-candidatura para a Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) em 2022. “Minha intenção é estar junto do presidente em qualquer situação, mas devo analisar a movimentação do meu líder político. Se o Eduardo migrar para o PL, possivelmente o acompanharei”, prevê.

Outra figura da região que declarava buscar estar ao lado do presidente é o deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL). Em junho, quando Bolsonaro cogitava se filiar ao Patriota, o deputado deu ao Diário a declaração de que “para onde o presidente for, eu vou”.
Questionado novamente, o parlamentar afirma já não ter certeza sobre os seus próximos passos, embora avalie uma mudança de partido. “Eu não decidi absolutamente nada. Tem uma janela (partidária) em março e outra janela, se não coincidir (com o mesmo período), que é a fusão DEM-PSL. Também não sei se fico. Estamos em uma posição bem nebulosa. Queremos estar sempre ao lado do bem”, disse.

O coronel também não se posicionou em relação ao movimento do presidente de ingressar no PL. “É uma opção dele, não tenho nada contra nem a favor. Quando ele deixou o PSL, a gente ficou meio órfão”, lembrou.
A equipe de reportagem também tentou contato com o deputado estadual Thiago Auricchio, liderança do PL na região com base eleitoral em São Caetano, para comentar a chegada de Bolsonaro à sigla. O parlamentar não havia retornado até o fechamento desta edição.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;