Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Indicador de Incerteza da FGV cai 2,0 pontos em novembro ante outubro



30/11/2021 | 11:23


O Indicador de Incerteza da Economia Brasileira (IIE-Br) caiu 2,0 pontos na passagem de outubro para novembro, para 129,3 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). Foi a segunda queda seguida, após a forte alta de setembro, mês marcado pela elevação das turbulências políticas, em torno dos protestos do 7 de Setembro.

O IIE-Br de novembro está 14,2 pontos acima do nível de fevereiro de 2020 (115,1 pontos), último mês antes da chegada da pandemia de covid-19 ao País. O pico da série histórica do indicador foi registrado em abril de 2020, auge da pandemia, com 210,5 pontos.

"Apesar da segunda queda consecutiva, o resultado do IIE-Br no mês devolve apenas 32% da alta de quase 15 pontos registrada em setembro, e reflete uma certa acomodação da incerteza em patamar elevado. A lenta queda do indicador é reflexo da continuidade da melhora dos indicadores da covid-19 no Brasil associada a fatores negativos no campo econômico, como a inflação e juros elevados e a desaceleração do crescimento doméstico e internacional. O resultado do mês não inclui os efeitos da disseminação da variante Ômicron do coronavírus no País, algo que pode ameaçar a atual tendência de queda da incerteza nos próximos meses", diz a nota da FGV.

O IIE-Br é formado por dois componentes: o IIE-Br Mídia, que faz o mapeamento nos principais jornais da frequência de notícias com menção à incerteza; e o IIE-Br Expectativa, que é construído a partir das dispersões das previsões para a taxa de câmbio e para o IPCA.

Segundo a FGV, em novembro, os componentes tiveram comportamento divergente. O IIE-Br Mídia caiu 5,8 pontos, para 122,6 pontos, uma contribuição negativa de 5,1 pontos para o índice agregado. Já o IIE-Br Expectativas subiu pela quarta vez consecutiva, agora em 14,2 pontos, para 144,0 pontos, maior nível desde março de 2021 (149,4 pontos), contribuindo positivamente em 3,1 pontos para a evolução do IIE-Br agregado em novembro ante outubro.

"Com o forte aumento do componente de expectativas em novembro, o IIE-BR-Expectativa acumula alta de mais de 30 pontos desde agosto de 2021. Definir cenários para as variáveis macroeconômicas um ano à frente tem sido um desafio grande em função da recente escalada inflacionária, que tem levado à perspectiva de maior aperto monetário e enfraquecimento da atividade econômica nos cenários para 2022. Dentre as variáveis usadas na construção deste componente, a alta mais expressiva foi na dispersão das previsões dos juros Selic, sinalizando que a percepção sobre ciclo de alta dos juros, para conter a inflação, tem se tornando muito heterogênea", continua a nota da FGV.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;