Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Messi bate Lewandowski e ganha a Bola de Ouro pela 7ª vez; Cristiano Ronaldo é 6º

Reprodução/Instagram France Football Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

O trio foi seguido por Karim Benzema, atacante francês do Real Madrid, e o volante Kanté, do Chelsea; Neymar foi o 16°



29/11/2021 | 18:11


Lionel Messi confirmou seu favoritismo e faturou a Bola de Ouro. O craque argentino ganhou pela sétima vez a renomada premiação entregue pela revista France Football. Foi o primeiro prêmio desde que se transferiu do Barcelona para o Paris Saint-Germain. Com o sétimo troféu, ele ampliou sua hegemonia como o maior vencedor da premiação. A cerimônia foi realizada no Théâtre du Chatelet, em Paris.

O polonês Robert Lewandowski, do Bayern de Munique ficou na segunda colocação e o meio-campista brasileiro naturalizado italiano Jorginho, que fez uma grande temporada pelo Chelsea e pela seleção da Itália, foi o terceiro. O trio foi seguido por Karim Benzema, atacante francês do Real Madrid, e o volante Kanté, do Chelsea.

Cristiano Ronaldo, que trocou a Juventus pelo Manchester United, apareceu apenas na sexta colocação. O astro português não atravessa a melhor de suas fases. Depois de uma temporada acidentada, Neymar foi somente o 16º.

A expectativa em cima de Messi aumentou depois que a RTP, Rádio e Televisão Portuguesa, noticiou que o craque do PSG seria mais o vencedor da edição deste ano. Os outros troféus ele recebeu em 2009, 2010, 2011, 2012, 2015 e 2019.

Contratado pelo Paris Saint-Germain em agosto, Messi teve uma temporada difícil pelo Barcelona, que passa por grave crise financeira e institucional, e ganhou apenas a Copa do Rei pelo clube. Ainda assim, conseguiu se destacar individualmente. Em 2021, considerando as partidas pelo Barcelona e pelo PSG, o argentino tem 42 gols e 15 assistências. Neste ano, liderou a Argentina na conquista da Copa América com vitória sobre o Brasil na decisão no Maracanã. O título quebrou um jejum de 28 anos sem taças.

"Esse prêmio é muito por conta do título da Copa América. Quero agradecer meus companheiros da seleção e do PSG. É uma noite especial para mim", disse Messi, acompanhado no evento da mulher, dos filhos e do pai. "Foi uma honra lutar com o Robert (Lewandowski) pelo prêmio. No ano passado ele mereceu mais do que ninguém", completou, elogiando o seu concorrente. Ele recebeu o troféu das mãos do amigo e ex-companheiro Luis Suárez, hoje no Atlético de Madrid. Os dois e Neymar formaram um trio inesquecível no Barcelona.

Houve também dois prêmios surpresas. Se não levou a principal premiação, Robert Lewandowski ganhou como "artilheiro do ano". O atacante polonês do Bayern de Munique anotou 48 gols na temporada 2020/2021 e em 2021/2022 já balançou as redes 25 vezes. A outra honraria foi para o "Clube do Ano", dada ao Chelsea, atual campeão europeu.

Além de candidatos à Bola de Ouro para homens e mulheres, a France Football escolheu o melhor goleiro da temporada por meio do troféu Yashin, em homenagem ao goleiro russo Lev Yashin, que brilhou nas décadas de 50 e 60, a melhor jogadora e o melhor sub-21 (troféu Kopa).

O italiano Gianluigi Donnarumma, campeão da Eurocopa, foi eleito o melhor goleiro. O brasileiro Ederson, do Manchester City, estava no páreo e ficou em quarto. Pedri, do Barcelona e da seleção da Espanha, ganhou como melhor sub-21. Entre as mulheres, o prêmio ficou com Alexias Putellas, outra atleta espanhola e que também atua no time catalão.

No ano passado, a honraria não foi entregue em virtude da pandemia de covid-19. Neste ano, o evento contou com a participação de 180 jornalistas internacionais a fim de eleger o ganhador e teve como um dos apresentadores Didier Drogba, lenda do futebol africano. Artistas e outros esportistas, como o piloto de Fórmula 1 Fernando Alonso, estiveram presentes na solenidade. Dois dos maiores craques do futebol mundial, Diego Maradona e Gerd Muller, que morreram em 2020 e 2021, respectivamente, foram homenageados.

Criado em 1956, o prêmio foi entregue pela 65ª vez. A honraria foi concedida de forma independente entre 1956 e 2009 e novamente a partir de 2016, após fim da parceria de seis anos com a Fifa, que, posteriormente, com o fim da fusão, criou o The Best.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;