Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Santo André tenta consolidar legado deixado por Laís Elena

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Time decide título estadual, o qual pode conquistar pela primeira vez desde a morte da maior referência do esporte na cidade


Dérek Bittencourt
do Diário do Grande ABC

28/11/2021 | 07:15


Santo André, orgulhosamente, recebeu há duas semanas o título de cidade sul-americana do esporte. Um dos pontos mais explorados no dossiê feito pelo município para apresentar sua história esportiva foi justamente a história de sucesso do basquete feminino, que se confunde muito com a trajetória da ex-jogadora e treinadora Laís Elena, que morreu em 2019. Foi com ela dentro ou à beira de quadra que o município conquistou nada menos do que oito troféus de campeã paulista, sendo três pela Pirelli (1956, 1974 e 1975) e cinco pelo time da cidade (1995, 2011, 2016, 2017 e 2018). Hoje, a partir das 18h, pela primeira vez na história a equipe poderá dar a volta olímpica sem a presença de sua maior figura, caso vença o Sesi Araraquara, no segundo jogo do play-off final. Porém, tanto na comissão técnica quanto no time as andreenses contam com peças que perpetuam os ensinamentos – e broncas – de Laís Elena, a começar por sua fiel escudeira e hoje técnica, Arilza Coraça.

Se tem algo que a atual comandante herdou foi a paixão pela equipe e o afeto pelas jogadoras, como uma segunda mãe para todas elas. Por isso, após a vitória por 45 a 35 em Araraquara, fez questão de exaltar o poder de superação de suas atletas. “Esta equipe merece todos os nossos aplausos, pois é um grupo que não desiste nunca. São guerreiras. Nem sempre estamos felizes no ataque, mas elas não desistem nunca de marcar”, destacou Arilza.

Uma das jogadoras praticamente criadas por Laís Elena é a ala Jaqueline, que esteve ao lado da treinadora nos quatro últimos títulos paulistas conquistados por Santo André. E hoje, pode alcançar o hexa, “O primeiro passo foi dado e o time está de parabéns. Agora vamos corrigir os erros que tivemos, erros que não vínhamos cometendo, contudo, pode ser pela ansiedade do primeiro jogo das finais. Mas, já passou. Agora, é focar o próximo em casa com a nossa torcida nos ajudando”, projetou.

Por falar na presença de público, o ginásio do Parque Celso Daniel deverá ter casa cheia. Não haverá cobrança de ingresso, mas a capacidade do local deverá ser limitada – aproximadamente 400 torcedores deverão ser permitidos entrar no local. Sejam quantos forem, a expectativa é a de que empurrem as andreenses rumo a mais um título estadual.

Na visão da pivô Glenda, maior pontuadora da partida de ida, em Araraquara, triunfar na casa das adversárias fazia parte do plano – o fato deixou Santo André em situação confortável; mesmo se perder hoje, faz o terceiro jogo novamente no Celso Daniel, quarta-feira. “Sabíamos da importância de sair com a vitória neste primeiro jogo, pois era o nosso objetivo e conseguimos, mesmo não tendo o desempenho que esperávamos. Seguimos firmes em busca do nosso objetivo”, finalizou. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;