Fechar
Publicidade

Sábado, 29 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Ford começa a ser demolida em São Bernardo

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Montadora funcionou por 52 anos na cidade e vendeu o terreno na Avenida Taboão por R$ 550 milhões em 2020


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

27/11/2021 | 16:30


Após 52 anos de pujança em São Bernardo, a fábrica que abrigava a montadora Ford, na Avenida Taboão, no bairro de mesmo nome, começou a ser demolida. Os tijolos que formavam os pilares e que mantinham em pé a estrutura, milhares de empregos e o sonho de uma vida melhor, estão agora no chão. O local, que agora pertence à Construtora São José, especializada em empreendimentos imobiliários logísticos e comerciais de alto padrão, deverá dar espaço a moderno centro de distribuição. O terreno foi arrematado em outubro de 2020 por R$ 550 milhões.

Equipe do Diário visitou a antiga fábrica da Ford no início da tarde deste sábado (27) e testemunhou o começo da demolição do espaço. Inicialmente, somente os galpões internos estão indo ao chão. Quem passa pela Avenida Taboão ainda consegue ver o prédio de tijolos da montadora. A única e importante diferença é a falta do imponente totem que ostentava o logotipo da Ford.

Na entrada principal, na Avenida Taboão, ainda é possível ver um tapete de boas vindas na porta, como se recebesse os milhares de funcionários e visitantes que já não trabalham mais ali. A fábrica de São Bernardo era a mais antiga da montadora no País.

O Diário acompanhou os últimos suspiros da Ford em São Bernardo. Em seus últimos dias, cerca de 650 trabalhadores do chão de fábrica foram demitidos. Em seus tempos áureos, no fim dos anos 1980, a planta chegou a manter 12 mil empregados. E na sua linha de montagem saíram modelos icônicos do setor automotivo como o Corcel, o Del Rey e o Escort XR3.

Para encerrar a atividade na cinquentenária fábrica de São Bernardo, a montadora alegou que a decisão surgiu em meio à pandemia de Covid-19 e que a crise sanitária ampliou e persistiu a capacidade ociosa da indústria, assim como reduziu o número de vendas de automóveis, o que resultou em perdas significativas. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;