Fechar
Publicidade

Sábado, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Leilão de comercialização do petróleo arrecada R$ 25 bi para União em 3 a 5 anos



26/11/2021 | 17:43


Terminou nesta sexta-feira, 26, a disputa pela comercialização da parte do petróleo da União nos campos de Búzios, Sapinhoá e Tupi e da Área de Desenvolvimento de Mero, todos localizados no pré-sal da bacia de Santos. Seis empresas foram habilitadas a participar, mas Equinor, Petrogal e Repsol Sinopec não fizeram lances. A competição ficou entre Petrobras, CNODC Brasil e TotalEnergies.

O leilão arrecadou R$ 25 bilhões para a União, que entrarão nos cofres dos Tesouro Nacional ao longo dos próximos 3 a 5 anos.

A Petrobras levou os quatro lotes ofertados, somando 55 milhões de barris de petróleo. A maior disputa foi pelo campo de Búzios, com a estatal brasileira oferecendo ágio de R$ 65,00 sobre o preço de referência do leilão, ganhando assim da chinesa CNODC. Mas a área de Mero também teve a participação de três interessadas - Petrobras, CNODC e TotalEnergies. A Petrobras venceu a disputa por Mero ao oferecer um pagamento adicional de R$ 52 sobre o preço de referência do leilão. Sapinhoá teve ágio de R$ 7,35 sobre o preço de referência e Tupi ágio de R$ 3,35.

Os prazos dos contratos variam de 24 a 60 meses, dependendo do ativo.

Ao final,o presidente da PPSA, Eduardo Gerk, lembrou que o terceiro leilão de comercialização de petróleo é só o começo da distribuição de riquezas do pré-sal para a sociedade, já que a produção dos campos sob o regime de Partilha só tende a crescer.

"Todos os lotes saíram na primeira etapa do leilão e com ágio, o que é muito positivo. Hoje estamos licitando 55 milhões de barris, mas há muito por vir. Que seja só o começo de muitas conquistas que tenhamos ao longo da década", disse Gerk ao bater o martelo finalizando o certame.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;