Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Caminhos de Piraporinha. A festa de Bom Jesus. Moços e moças da Vila.

As duas fotos de hoje foram tiradas pelo nosso interlocutor, Luiz João Marotti, no bairro Piraporinha, hoje pertencente a Diadema. Estamos na Estrada de Piraporinha, na segunda metade da década de 1940


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

22/11/2021 | 00:01


Das memórias de Luizinho Marotti:

- Naquele tempo, eu já havia feito o catecismo. Foi minha professora, na capela de Santa Filomena, dona Mercedes Medici, e também os padres Jerônimo Angeli e Pedro Rico.

- Bem antes, fui batizado pelo padre Francisco Navarro.

- Na infância, os Marotti moraram no Sítio Oneda, da atual Rua Oneda (Jardim Calux, bairro Planalto). Em frente ao sítio havia uma cancha de bocha. O jogo da bocha era feito com madeira de aroeira.

- O português Lucci fazia e vendia vinho.

- As crianças andavam descalças – era assim que iam ao grupo escolar, na atual Praça Lauro Gomes.

- No tempo da guerra, faltava querosene. Era tudo racionado, marcado num cartão azul. Faltava pão. Se tinha macarrão, a gente desmanchava para ter farinha e fazer o pão.

- Do porco criado no quintal se fazia codeguim, linguiça, chouriço, torresmo, que era posto no pão. Cozinhava o couro para pôr no feijão. Toucinho defumado, pancetta.

- E havia as festas religiosas de Piraporinha.

Um caso de amor em Rio Grande da Serra

- A história que se segue foi narrada pelo correspondente do Estadão na então Estação Rio Grande. E publicada em todos os seus detalhes em 14 de novembro de 1901, na primeira página do jornal.

- Pedro Nunes Vieira, moço de 20 anos (mais ou menos), tendo-se enamorado de Albertina Pinheiro, 15 anos presumíveis, e como não fosse do gosto dos pais de Albertina que o matrimônio se realizasse (ele queria, ela queria) estava tudo arranjado e... fugiram na manhã de domingo (dia 10) aproveitando-se da ausência do pai e dos afazeres da mãe de Albertina.

- Hoje (dia 13) apareceram com o trem que aqui chega às 7h30 e nos pareciam outros.</CW>

- Vinham alegres e joviais, aquela melancolia de outrora desaparecera.

- O fato que se dera era tão natural e tão comum nesta localidade, onde todos se medem pelo mesmo quilate.

- O Sr. Amaro Pinheiro, pai da moça, não descansou enquanto não soube que já estavam casados. Ainda bem.

Nota da Memória – Não temos o nome do correspondente do Estadão em Rio Grande naquele início do século XX. Só sabemos que ele tinha uma participação regular no envio das notícias do lugar e que era professor. Em 1901 havia também o correspondente da Estação de São Bernardo (Santo André). Mas este enviava notícias com menos regularidade. 

Em 22 de novembro de...

1886 - Ministro da Agricultura, conselheiro Antonio Prado, e presidente da Província do Estado, Visconde da Parnaíba, visitam o Núcleo Colonial de São Bernardo e são recebidos em festa.

1901 – De uma crônica médica assinada pelo Dr. Luiz Pereira Barretto no Estadão: “A grande campanha está chegando afinal ao seu termo. A epidemiologia da febre amarela não encerra mais mistérios. (...) sabemos hoje que a febre amarela não é contagiosa”.

1953 – Realizados plebiscitos em Mauá e Ribeirão Pires. O povo diz ‘sim’. E os dois distritos separam-se de Santo André.

1956 – Fundado o Conservatório União e Cultura Musical Santa Cecília, em Santo André.

1991 – Fechado por mais de oito anos, é reaberto o Teatro Procópio Ferreira, no bairro Pauliceia, em São Bernardo, com uma mostra de artes plásticas dos artistas do bairro: Sarro, Sobral e Mikio.

Hoje

- Dia da Música, do Músico e dos Cantores

Diário há meio século

Domingo, 21 de novembro de 1971 – ano 13, edição 1696 

Comércio – Em frente da Catedral do Carmo, em Santo André, o engenheiro Joaquim Corrêa Lima, com sua equipe e fornecedores, construiu, em apenas 75 dias, três andares da nova loja Mesbla.

Início da obra: 2 de setembro de 1971.

Término: 17 de novembro de 1971.

Inauguração: 22 de novembro de 1971.

Crônica – As Cartas Que se Constituem em Dilema, de autoria de Julio Pinheiro, pseudônimo de Hermano Pini Filho.

Santos do dia

- Cecília

- Tomás Reggio

- Daniel, Eugênia, Filemon e Ápia, Marcos e Estêvão, Mauro, Pramácio, Sabiniano e Trigídia

- Beatos: Bento de Ponte e Cristiano

Municípios brasileiros

- No Estado de São Paulo, Álvaro de Carvalho (1949) e Monte Castelo (1954).

- Pelo Brasil: no Ceará, Barro, Chaval, Itatira, Jati, Marco, Monsenhor Tabosa, São Luís do Curu e Trairi; em Minas Gerais, Cabeceira Grande; no Maranhão, Cândido Mendes; no Rio Grande do Sul, Cruzeiro do Sul e Ibiaçá; no Paraná, Iguaraçu e Santa Cecília do Pavão; em Rondônia, Ji-Paraná e Primavera de Rondônia; em Santa Catarina, Lages; no Rio de Janeiro, Niterói; e em Goiás, Piracanjuba.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;