Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Magrão vibra com a chance de ser titular do S.Caetano no Brasileiro


Analy Cristofani
Do Diário do Grande ABC

13/06/2001 | 00:16


Começa a maior chance do atacante Magrão no São Caetano. O jogador sabe que não conseguiu apresentar seu futebol desde que chegou ao Azulão e acredita numa virada no Campeonato Brasileiro. “Infelizmente as coisas não aconteceram da maneira que eu queria. Mas agora quero voltar a fazer gols, que é a minha finalidade dentro do time. Espero que tudo aconteça da melhor maneira”, disse Magrão, que terça, pela primeira vez desde que voltou de férias, fez treino físico com bola. “É gostoso, pode ver que está todo mundo alegre, tirando a barriga da miséria. Mas tudo tem seu tempo e a gente precisava dos exercícios físicos”.

A oportunidade de formar a dupla de ataque titular da equipe do Grande ABC aumenta, já que até agora o clube não contratou nenhum outro atacante. No final do Paulista e da participação do time na Copa Libertadores, foram dispensados Romualdo e Sinval. Magrão, que foi bastante criticado pela torcida nos momentos em que entrou na equipe, é a bola da vez. “Vou lutar bastante porque sei que tenho condições de apresentar mais do que fiz no primeiro semestre. Não foi nem como eu queria nem como queria o treinador”.

Magrão também estava feliz pela indicação do nome de Luiz Felipe Scolari na seleção. O atacante trabalhou com Felipão no Palmeiras em 1997 e 1998, quando foi campeão da Mercosul, e era considerado, pelo treinador, o Jardel da equipe alviverde. “Ele é um dos técnicos mais vitoriosos do Brasil e criou essa história com seu trabalho. É muito humano e tem um coração bom. Na hora do trabalho, cobra, aquele jeitão gaúcho. Tenho certeza que vai implantar sua filosofia”.

No treino de ontem, no campo do Fundação, reencontrar a bola não era a maior alegria do meia Márcio Griggio. Nasceu sábado seu primeiro filho, Pedro Cardoso Griggio, e ontem não escondia a felicidade.

"É muita emoção, nossa. É um presente de Deus”, afirmou, com o apoio do zagueiro Serginho, que também teve seu primeiro filho há pouco mais de um mês, Paulo Sérgio. “Agora ele já está todo espertinho”, disse, esquecendo a maratona de trabalho que terão até a estréia da equipe no Brasileiro, dia 1º de agosto, contra o Bahia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Magrão vibra com a chance de ser titular do S.Caetano no Brasileiro

Analy Cristofani
Do Diário do Grande ABC

13/06/2001 | 00:16


Começa a maior chance do atacante Magrão no São Caetano. O jogador sabe que não conseguiu apresentar seu futebol desde que chegou ao Azulão e acredita numa virada no Campeonato Brasileiro. “Infelizmente as coisas não aconteceram da maneira que eu queria. Mas agora quero voltar a fazer gols, que é a minha finalidade dentro do time. Espero que tudo aconteça da melhor maneira”, disse Magrão, que terça, pela primeira vez desde que voltou de férias, fez treino físico com bola. “É gostoso, pode ver que está todo mundo alegre, tirando a barriga da miséria. Mas tudo tem seu tempo e a gente precisava dos exercícios físicos”.

A oportunidade de formar a dupla de ataque titular da equipe do Grande ABC aumenta, já que até agora o clube não contratou nenhum outro atacante. No final do Paulista e da participação do time na Copa Libertadores, foram dispensados Romualdo e Sinval. Magrão, que foi bastante criticado pela torcida nos momentos em que entrou na equipe, é a bola da vez. “Vou lutar bastante porque sei que tenho condições de apresentar mais do que fiz no primeiro semestre. Não foi nem como eu queria nem como queria o treinador”.

Magrão também estava feliz pela indicação do nome de Luiz Felipe Scolari na seleção. O atacante trabalhou com Felipão no Palmeiras em 1997 e 1998, quando foi campeão da Mercosul, e era considerado, pelo treinador, o Jardel da equipe alviverde. “Ele é um dos técnicos mais vitoriosos do Brasil e criou essa história com seu trabalho. É muito humano e tem um coração bom. Na hora do trabalho, cobra, aquele jeitão gaúcho. Tenho certeza que vai implantar sua filosofia”.

No treino de ontem, no campo do Fundação, reencontrar a bola não era a maior alegria do meia Márcio Griggio. Nasceu sábado seu primeiro filho, Pedro Cardoso Griggio, e ontem não escondia a felicidade.

"É muita emoção, nossa. É um presente de Deus”, afirmou, com o apoio do zagueiro Serginho, que também teve seu primeiro filho há pouco mais de um mês, Paulo Sérgio. “Agora ele já está todo espertinho”, disse, esquecendo a maratona de trabalho que terão até a estréia da equipe no Brasileiro, dia 1º de agosto, contra o Bahia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;