Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 23 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Justiça veta alta da Zona Azul, mas
Campanella mantém em R$ 3

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Juíza rejeita homologar acordo que formalizou aumento do serviço; Paço diz que não reduzirá


Júnior Carvalho
do Diário do Grande ABC

18/11/2021 | 00:10


A Justiça de São Caetano vetou acordo feito a forceps pelo governo do prefeito interino de São Caetano, Tite Campanella (Cidadania), que culminou com aumento em 50% da Zona Azul. Ainda assim, a gestão em exercício descartou reduzir o valor da tarifa, que passou de R$ 2 para R$ 3 a hora.

No início do mês, o Diário mostrou que a juíza Daniela Anholeto Valbao Pinheiro Lima, da 6ª Vara Cível da cidade, negou liminar pleiteada pela prestadora dos serviços de estacionamento rotativo no município, a Assistpark Sistema de Estacionamento Rotativo Ltda, para forçar o governo Tite a reajustar os talões. Ainda com decisão temporária a favor da administração, a gestão interina decidiu se antecipar ao julgamento final da ação e assinou acordo com a Assistpark para viabilizar o aumento, em outubro.

Na semana passada, a juíza analisou o mérito do acordo e rejeitou homologar o acerto. No despacho, a magistrada concordou com argumentos do Ministério Público, que alertou que o pedido da Assistpark para aumentar o valor da Zona Azul foi protocolado na Justiça “sem os devidos esclarecimentos necessários”. Para o MP e para a juíza, a firma deixou de informar “fatos relevantes”, como “volume de veículos que utilizam o sistema” e “elementos que indiquem que as obrigações da concessionária que deveriam ter sido cumpridas até agora estão ou não em dia”.

“Assim, deixo de homologar a avença, anotando, ainda, que só deverá ocorrer na fase de instrução, se necessária, a apresentação dos documentos e estudos relacionados à fiscalização do contrato de concessão em questão e que comprovem a necessidade do reajuste da tarifa para readequação do equilíbrio econômico-contratual”, citou a magistrada.

A despeito de contabilizar a segunda decisão pró-município, que garantiria o congelamento da tarifa, o governo Tite bancou o aumento. “A ausência de homologação judicial não rompe o acordo feito entre a concessionária e a Prefeitura de São Caetano, portanto, continua em vigência (o valor fixado em R$ 3)”, informou o Paço, por meio de nota.

O vereador oposicionista Américo Scucuglia (PTB) ingressou com ação na Justiça para reverter a decisão da gestão Tite. O parlamentar sustenta nos autos, por exemplo, que o reajuste foi permitido pelo Palácio da Cerâmica sem parecer da Procuradoria do município e que o avalizador do acordo com a Assistpark, o secretário Geová Maria Faria (Mobilidade Urbana) não teria legitimidade para assinar os termos. Ainda não há decisão nesse processo.  



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;