Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Pizzaiolos encerram a CPI da Nike/CBF


Das Agências

13/06/2001 | 23:50


A CPI da CBF/Nike terminou quarta da forma mais desastrosa possível. Virou “pizza”. Para não colocar em votação o substitutivo da chamada “Bancada da Bola”, que tinha maioria a seu favor, o presidente da comissão, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), simplesmente resolveu encerrar os trabalhos. Esse tipo de procedimento, que não encontra amparo regimental, pode resultar numa repreensão pública ao deputado, segundo informaram assessores da presidência da Câmara.

O deputado José Rocha (PFL-BA) disse que ele e seus colegas vão pedir providências a Aécio, inclusive para validar o substitutivo que eles e 17 de seus colegas pretendiam aprovar no lugar do relatório do deputado Silvio Torres (PSDB-SP). “Rebelo preferiu encerrar a sessão desta maneira arbitrária, ao antever sua derrota”, afirmou. A falta de um relatório oficial anula os trabalhos desenvolvidos em oito meses.

Aldo Rebelo só renunciou ao seu cargo depois de a sessão da CPI virar um ringue de batalha. Faltou pouco para os integrantes da CPI da CBF/Nike se agredirem fisicamente. A troca de insultos, os gritos e os gestos ameaçadores prevaleceram nas cinco horas de reunião, interrompida por volta das 15h e retomada às 19h. José Lourenço protagonizou boa parte do bate-boca. Ele chamou Rebelo de “stalinista, golpista, ditador”. O presidente da CPI foi igualmente duro. “Uma das agruras desta comissão é ter de bater boca com um verme deste”, afirmou.

Em meio ao tumulto causado pela decisão de Rebelo, o deputado Eurico Miranda (PPB-RJ) resolveu substituí-lo, ao chamar para os votos um a um dos deputados. Deu empate de 17 votos a favor contra 17, já que ele sugeriu que os suplentes também votassem. A manobra dos deputados aliados a Rebelo era para prorrogar a sessão até a meia-noite, quando se encerraria o prazo de duração da CPI. Como ficou difícil enrolar até lá, Rebelo preferiu “implodir” a comissão.

Eurico Miranda – Ao se valer da condição de ser um dos vice-presidentes da CPI da CBF/Nike, o deputado Eurico Miranda colocou em votação o relatório do relator Sílvio Torres, que foi rejeitado pela maioria de 13 votos entre os 25 votantes. Os mesmos 13 votos que derrubaram o relatório de Silvio Torres aprovaram o substitutivo do deputado José Rocha.

A cena patrocinada por Eurico Miranda não tem qualquer validade regimental porque, cinco minutos antes, o presidente da comissão, Aldo Rebelo, já havia encerrado os trabalhos da CPI. Além do que, a manobra de Eurico Miranda não encontra amparo legal, pois o regimento interno das CPIs prevê que uma votação nominal só pode ser sucedida de outra idêntica uma hora depois, prazo que o dirigente do Vasco não respeitou.

Eurico Miranda saiu em defesa de Teixeira, a quem acusam de cometer alguns equívocos à frente da CBF, “muitas vezes forçado pelas pressões da Rede Globo”. Segundo Miranda, “o relatório de Silvio Torres é incompleto porque não investigou como a Rede Globo contrabandeia seus equipamentos”.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pizzaiolos encerram a CPI da Nike/CBF

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, acesse com:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;