Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas da Europa fecham mistas, com foco em balanços locais e decisão do BCE



28/10/2021 | 13:35


As bolsas europeias fecharam sem direção única nesta quinta-feira, 28, com investidores reagindo à temporada de balanços corporativos do Velho Continente. O mercado ainda acompanhou a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que reforçou o ritmo menor das compras emergenciais de ativos, além de comentários de sua presidente, Christine Lagarde, que rechaçou a possibilidade de uma alta dos juros em breve.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com ganhos de 0,24%, aos 475,16 pontos.

Nos destaques positivos entre empresas que divulgaram balanços nesta quinta, a ação da AB InBev saltou 10,33% na bolsa de Bruxelas nesta quinta, após a cervejaria ampliar sua receita e EBITDA no terceiro trimestre de 2021.

Em Londres, o papel do banco Lloyds subiu 1,27% também após a divulgação de resultados trimestrais. A alta da ação não foi suficiente, porém, para impedir a queda de 0,05% do índice FTSE 100, aos 7.249,47 pontos.

O índice sofreu com a baixa de 2,97% da Royal Dutch Shell, que teve lucro ajustado menor que o esperado no trimestre passado. Investidores também acompanharam a resposta do CEO da petroleira, Ben van Beurden, ao fundo de hedge baseado em Nova York Third Point, que sugeriu à Shell separar suas atividades com petróleo em outra companhia para atrair e reter investidores. Segundo van Beurden, os ativos de óleo e gás da Shell são necessários para financiar seus investimentos em energia limpa.

Assim como o londrino FTSE 100, o DAX, da bolsa de Frankfurt, fechou em leve baixa nesta quinta, de 0,06%, aos 15.696,33 pontos. A ação da Volkswagen esteve entre os destaques negativos ao recuar 4,47%, puxada pelas quedas no lucro operacional e receita no terceiro trimestre.

O parisiense CAC 40, por outro lado, avançou 0,75%, aos 6.804,22 pontos e na máxima diária. A alta de 1,82% da Airbus, após balanço, apoiou o índice.

Em Milão, o FTSE MIB fechou a sessão com ganhos de 0,31% 26.890,35 pontos, apesar da forte queda de 5,67% da Telecom Italia. A Stellantis também registrou recuo, enquanto o UniCredit subiu levemente, após as empresas informarem seus desempenhos trimestrais.

Investidores ainda acompanharam nesta quinta a decisão do BCE de não alterar seus instrumentos monetários, como estimavam analistas consultados pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Segundo o Commerzbank, o BC comum não deu sinais de que está preocupado com a perspectiva inflacionária de médio e longo prazos, o que indica que os juros na zona do euro permanecerão em nível historicamente baixo por um "longo" período. Comentários da presidente do BCE, Christine Lagarde, em coletiva de imprensa, também apontaram para este cenário.

Entre indicadores, a leitura preliminar do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Alemanha mostrou avanço anual de 4,5%, um ponto porcentual acima do esperado. Já o índice de sentimento econômico na zona do euro subiu a 118,6 em outubro, contrariando a previsão de queda a 116,6 de analistas.

Entre outros índices acionários, o madrilenho IBEX 35 avançou 0,60%, aos 9.025,80 pontos, enquanto o PSI 20, de Lisboa, subiu 0,99%, aos 5.747,29 pontos.

*Com informações de Dow Jones Newswires



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;