Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Câmara do DF muda nome de ponte: sai general e entra estudante morto na ditadura



28/10/2021 | 09:59


A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou nesta quarta-feira (27), em segundo turno de votação, a mudança do nome da Ponte Costa e Silva para Honestino Guimarães. A alteração tem forte peso simbólico, já que substitui o nome de um dos generais que presidiram o Brasil durante a ditadura militar - e que foi responsável pelo decreto do AI-5 - pelo de um líder estudantil que desapareceu em outubro de 1973, depois de ter sido preso no período do governo militar. Para ser implementada, a proposta depende agora da sanção do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

A mudança foi aprovada por nove votos contra cinco e reflete como essa discussão se tornou uma disputa política e ideológica na Capital Federal. Em 2015, a Câmara do DF aprovou lei semelhante, também trocando o nome do general Costa e Silva pelo de Honestino. E a decisão foi sancionada pelo governador da época, Rodrigo Rollemberg (PSB). Mas, três anos depois, uma ação popular derrubou a medida e restaurou o nome da ponte.

A alegação de que a troca foi feita sem consulta popular foi acolhida, na época, pelo Conselho Superior do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios e o nome do general voltou para a placa. Agora, antes da votação ser feita, foi realizada uma audiência pública para debater o assunto. Com isso, os defensores do projeto avaliam que será muito mais difícil o sucesso de um novo recurso na Justiça contra a mudança.

"Hoje é um dia histórico! Fizemos uma correção civilizatória ao mudar o nome da Ponte Costa e Silva para Honestino Guimarães. A homenagem tem que ser a ideias, pessoas e eventos que estejam em sintonia com valores humanos. E o nome de Honestino representa isso. Viva a democracia", celebrou ontem o deputado distrital Leandro Grass (Rede), autor do projeto.

Não é apenas no Distrito Federal que o nome de Costa e Silva dado a alguma edificação pública é cercada de polêmica. Construído em São Paulo, em 1971, o Minhocão foi chamado originalmente como Elevado Costa e Silva. Em 2016, durante a administração municipal de Fernando Haddad (PT), foi rebatizado como Elevado João Goulart, justamente o presidente que foi deposto pelos militares em 1964.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;