Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Djokovic se garante como número 1 do mundo até o final de 2021 e baterá recorde



27/10/2021 | 09:15


Com a ausência em torneios da ATP nesta semana, o russo Daniil Medvedev, segundo colocado do ranking, não tem mais como somar pontos suficientes para superar Novak Djokovic até o final desta temporada. Atual número 1, o tenista sérvio fechará mais um ano como o melhor do mundo e se tornará o recordista nesta estatística.

Atualmente, Djokovic está empatado com o americano Pete Sampras, ambos com seis temporadas encerradas como lider do ranking da ATP. O sérvio conseguirá fechar 2021 na ponta e então será o primeiro da história a conseguir tal feito sete vezes, abrindo duas de frente para o espanhol Rafael Nadal e o suíço Roger Federer, empatados com o americano Jimmy Connors.

Medvedev está no momento 1.800 pontos atrás de Djokovic, mas defende ainda 2.590 até o final do ano, correspondentes aos títulos do Masters 1000 de Paris, na França, e do ATP Finals do ano passado e pelas quartas de final do ATP 500 de Viena, na Áustria. Por sua vez, o sérvio defende 1.490, a maior parte deles pela conquista na capital francesa em 2019.

Já descontada a pontuação que os dois mais bem colocados no ranking defendem ainda em 2021, a diferença de Djokovic sobe de 1.800 para 2.900 e para poder descontar tudo isso Medvedev precisava não apenas vencer o Masters 1000 de Paris e o ATP Finals, que neste ano será em Turim, na Itália, mas também conquistar o ATP 500 de Viena e torcer para que o rival praticamente não somasse mais nada.

Apesar da empolgação depois da conquista de seu primeiro Grand Slam, levantando a taça do US Open, Medvedev tem mais é que se preocupar com seus perseguidores mais próximos. No momento, a distância para os que estão logo atrás dele no ranking é confortável, com 1.700 pontos de frente para o grego Stefanos Tsitsipas (terceiro colocado) e 2.950 de vantagem para o alemão Alexander Zverev (quarto), mas o russo tem muitos pontos a defender.

O russo, na melhor das hipóteses, poderá manter os 9.630 pontos que tem atualmente, que se transformam em 7.040 se forem descontados os dois títulos e as quartas de final em Viena, pontuação que sairá do seu ranking até o encerramento da temporada. Levando em conta a diferença com os pontos já descontados, Medvedev vê a distância para Tsitsipas cair de 1.700 para 1.490 e para Zverev sair de 2.950 para 2.260.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;