Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Santander BR: lucro líquido gerencial é de R$ 4,340 bi no 3º trimestre (+12,5%)



27/10/2021 | 07:27


O Santander Brasil teve lucro líquido gerencial (que desconsidera o ágio de aquisições) de R$ 4,340 bilhões no terceiro trimestre de 2021, alta de 12,5% em um ano e de 4,1% em um trimestre, de acordo com resultados publicados pelo banco na madrugada desta quarta-feira, 27.

No período de três meses encerrado em setembro, a carteira de crédito ampliada do Santander foi a R$ 526,488 bilhões, alta de 13,1% na comparação anual. Em relação ao segundo trimestre, houve alta de 3,2%. Em base anual, o crédito à pessoa física (+21,3%), e a pequenas e médias empresas (+17,3%) impulsionaram o crescimento.

No indicador que exclui operações como debêntures, CRIs, notas promissórias, entre outros, a carteira de crédito do Santander ficou em R$ 450,262 bilhões, alta de 13,3% em um ano e de 2,4% em um trimestre. Neste caso, o crescimento também foi puxado pelas concessões a pessoas físicas, que elevaram a carteira em 21,3% em base anual, e 5,5% na trimestral. A carteira PJ subiu 7,2% em um ano, mas recuou 0,5% em um trimestre.

A inadimplência, medida por atrasos acima de 90 dias, foi de 2,4%, alta de 0,2 ponto porcentual em um trimestre, e de 0,4 ponto no espaço de um ano. Segundo o Santander, a alta pode ser atribuída ao crescimento da carteira de crédito e às mudanças no mix de produtos. A inadimplência de pessoas físicas subiu de 3,2% para 3,3% entre o segundo e o terceiro trimestres, e a inadimplência de pessoas jurídicas, de 1,1% para 1,3%.

No indicador de atrasos entre 15 e 90 dias, a inadimplência foi de 3,3% para 3,4% entre o segundo e o terceiro trimestre. Entre os clientes pessoa física, subiu de 4,8% para 5,0%. Entre empresas, caiu de 1,5% para 1,2%.

O resultado das provisões de créditos de liquidação duvidosa, as chamadas PDDs, ficou em R$ 3,676 bilhões no terceiro trimestre deste ano, um aumento de 26,1% em 12 meses, atribuído pelo banco aos maiores volumes de crédito e também aos produtos. Em relação ao segundo trimestre, o acréscimo foi de 10,6%.

No trimestre, as despesas com provisões foram de R$ 4,798 bilhões, e a receita de recuperação de créditos baixados como prejuízo, de R$ 1,122 bilhão.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;