Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

FGV: confiança do consumidor sobe 1 ponto em outubro ante setembro (76,3 pontos)



25/10/2021 | 08:35


A confiança do consumidor subiu 1,0 ponto em outubro ante setembro, na série com ajuste sazonal, informou nesta segunda-feira, 25, a Fundação Getulio Vargas (FGV). O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) ficou em 76,3 pontos. Foi a primeira alta após dois meses seguidos de quedas. Em médias móveis trimestrais, o índice caiu 2,0 pontos, para 77,8 pontos.

"A melhora foi influenciada por uma revisão das expectativas sobre as finanças familiares, que haviam despencado no mês passado. Essa reavaliação parece relacionada a uma recuperação das expectativas sobre o mercado de trabalho nos próximos meses. Contudo, consumidores se mantêm cautelosos em relação a intenção de compra de bens duráveis. O aumento da incerteza, o aumento dos preços e a demanda represada por serviços na pandemia podem estar contribuindo para frear o consumo desses produtos", diz nota divulgada pela FGV.

Em outubro, a melhora foi puxada pelas expectativas em relação ao futuro. O Índice de Situação Atual (ISA) avançou apenas 0,2 ponto, para 69,0 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) subiu 1,3 ponto, para 82,4 pontos.

Entre os quesitos que compõem o ISA, "o indicador que mede percepção dos consumidores sobre à situação econômica no momento variou 0,3 ponto em outubro, para 74,8 pontos e o que mede a satisfação sobre as finanças pessoais, 0,2 ponto, para 63,8 pontos", informou a FGV, destacando que essas duas componentes do ISA "se mantém em patamar muito baixo em termos históricos".

Entre os quesitos que compõem o IE, o indicador que mais influenciou o movimento de outubro foi "o que mede as perspectivas sobre a situação financeira familiar, cujo indicador avançou 3,8 pontos, para 83,5 pontos, recuperação de apenas 30% das perdas de sofridas em setembro", segundo a FGV. "O indicador que mede as expectativas sobre a situação econômica subiu 1,0 ponto, para 98,5 pontos. Mas mesmo com melhores perspectivas financeiras familiares, o ímpeto de compras para próximos meses continuou caindo pelo segundo mês consecutivo, 0,9 ponto para 67,5 pontos", diz a nota divulgada pela entidade.

A análise por faixa de renda dos consumidores revela que houve piora da confiança para os mais pobres. Os consumidores com renda de até R$ 2.100,00 tiveram queda de 1,4 ponto no ICC, para 63,7. "A faixa de renda entre R$ 2.100,01 e R$ 4.800,00 registrou o melhor desempenho com alta de 5,3 pontos para 73 pontos", diz a nota da FGV.

A Sondagem do Consumidor coletou informações de 1.508 domicílios, com entrevistas entre os dias 1º e 21 de outubro.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;