Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

São Paulo vence Corinthians, encerra a série de empates e reage no Brasileirão

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


18/10/2021 | 22:07


O São Paulo entusiasmou seu torcedor no Morumbi ao jogar bem, ganhar do Corinthians por 1 a 0 na noite desta segunda-feira e enfim encerrar a série de seis empates no Brasileirão. No segundo jogo sob o comando de Rogério Ceni, o time tricolor encarou o clássico como uma final de campeonato diante de um adversário em baixa rotação e foi recompensado pela postura no clássico que fechou a 27ª rodada.

Ceni, técnico que comandava o São Paulo na última vez que o time foi derrotado pelo Corinthians no Morumbi, comemorou muito sua primeira vitória em sua segunda partida nesta nova experiência como treinador tricolor. A equipe não vencia há um mês. Nesta segunda, jogou bem, sobretudo no primeiro tempo, e dominou o rival em boa parte do clássico. Com os três pontos, passa a somar 34 e sobe para o 12º lugar.

Mais do que abrir distância da zona de rebaixamento, o resultado é importante para dar confiança ao time tricolor, que vai encarar nas próximas seis rodadas cinco oponentes que estão nas sete primeiras colocações. O próximo desafio é contra o Red Bull Bragantino, domingo, às 18h15, em Bragança Paulista.

O Corinthians viu subir para oito jogos o período sem vitória sobre o São Paulo na casa do rival. Sylvinho não pôde escalar Fagner, suspenso, e Willian, machucado, e os desfalques fizeram falta para um time que demorou a acordar na partida. Estagnou nos 40 pontos e termina a rodada ainda no sexto posto, mas com risco de perdê-lo para o Inter, que faz o seu jogo atrasado da 19ª rodada diante do Bragantino na quinta-feira.

O São Paulo foi premiado cedo pela postura que adotou no início. Muito mais ligado que o rival, o time de Rogério Ceni encurralou o Corinthians. Subiu a marcação e pressionou até marcar. Luciano balançou as redes aos dois minutos, mas estava milimetricamente impedido e o gol não valeu. Não fez falta. Aos seis, Reinaldo subiu ao ataque e cruzou rasteiro para Calleri, que se antecipou aos zagueiros e desviou para as redes. O argentino fez os torcedores, que compareceram em maior número em relação aos jogos anteriores, explodirem.

Depois de um péssimo início, em que pareceu encarar o clássico como disputa de um jogo sem importância, o Corinthians equilibrou a posse de bola, mas encontrou dificuldade para chegar ao gol do rival. Cantillo, Giuliano e Renato Augusto, responsáveis pela construção das jogadas, pouco produziram. Estiveram desconfortáveis diante da forte marcação que enfrentaram. O único lance de perigo foi uma enfiada de Renato Augusto para Giuliano, que não marcou graças à boa saída de Tiago Volpi.

O "novo" Igor Gomes quase ampliou para os anfitriões em bonito chute colocado que passou perto do gol. Um dos melhores em campo, o meia tem jogado mais recuado, perto de Liziero, por orientação de Ceni, que fez o bom futebol do jovem reaparecer. No fim da primeira etapa, o clima esquentou e quase sobrou vermelho para os dois lados após Lizero colocar a mão no rosto de Du Queiroz e João Victor empurrar o são-paulino. O árbitro Leandro Vuaden administrou a discussão com um amarelo para cada lado.

O panorama pouco mudou no segundo tempo. É certo que o São Paulo, em vantagem, diminuiu a pressão e preferiu esperar o Corinthians, que, porém, continuou sem inspiração, lento e incapaz de incomodar os donos da casa. Reflexo disso é que o primeiro chute corintiano na etapa final foi dado aos 26 minutos. Cantillo chutou para fora, sem perigo para Volpi.

Os técnicos mexeram, Sylvinho colocou o Corinthians para frente ao lançar mão de Gustavo Mosquito e Jô, mas as alterações não surtiram efeito. Depois de muita apatia, Renato Augusto obrigou Volpi a trabalhar em cabeceio perigoso e Róger Guedes arriscou chute da entrada da área que o goleiro são-paulino defendeu com segurança. O time anfitrião respondeu com Luciano, que acertou a trave. Mais nada, porém, aconteceu de nenhum dos lados, e esse cenário foi bom negócio para o São Paulo, que pôde comemorar um triunfo depois de seis empates. Os 23 mil torcedores, especialmente, festejaram como nunca no Morumbi.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 0 CORINTHIANS

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Orejuela (Diego Costa), Arboleda, Léo e Reinaldo; Liziero, Igor Gomes, Gabriel Sara (Marquinhos) e Benítez (Gabriel Neves); Luciano (Rodrigo Nestor) e Calleri (Pablo). Técnico: Rogério Ceni.

CORINTHIANS - Cássio, Du Queiroz, João Victor, Gil e Fábio Santos; Cantillo (Jô), Renato Augusto e Giuliano; Gabriel Pereira (Gustavo Mantuan), Adson (Gustavo Mosquito) e Róger Guedes. Técnico: Sylvinho.

GOLS - Calleri, aos seis minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (RS).

CARTÕES AMARELOS - Liziero, João Victor, Arboleda, Gabriel Neves, Róger Guedes.

PÚBLICO - 23.874 torcedores.

RENDA - R$ 1.07.213,00.

LOCAL - Estádio do Morumbi.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;