Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Por causa das 'restrições', Djokovic 'não sabe se jogará' no Aberto da Austrália

AFP PHOTO/Emmanuel Dunand Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


18/10/2021 | 19:25


O primeiro Grand Slam de 2022 pode ter um imenso desfalque. Maior campeão do Australian Open e atual detentor do título, o sérvio Novak Djokovic deixou aberta a possibilidade de não disputar a competição por causa das restrições no combate ao covid-19. Sem revelar se está vacinado, o número 1 do mundo não quer saber de ficar "preso no quarto de hotel" como em 2021.

"Teremos muitas restrições. Eles estão tentando melhorar as condições este ano, o problema é que você viaja de avião com uma pessoa positiva, vacinada ou não, e tem que ficar 14 dias no seu quarto de hotel. Foi o que aconteceu com 70 jogadores este ano", reclamou Djokovic, em entrevista ao jornal Bild, da Alemanha.

"Gostaria que todos os tenistas se reunissem um pouco mais e se envolvessem na tomada de decisões. Eu sinto que nada está sendo pedido de nós. A verdade é que não sei se vou jogar o Aberto da Austrália. A situação não é boa", seguiu, desgostoso com as medidas impostas sem consulta aos tenistas. Em 2021, ele já tomou a frente para que os responsáveis do torneio diminuíssem o isolamento a que foram obrigados a cumprir no país, sem contato até com técnico e equipe.

Sob a possibilidade de novo isolamento, ele ameaça não disputar o Gran Slam que abre a temporada. "Ainda não decidi se vou jogar em Melbourne. Existe muita especulação, a mídia especula muito. Há muita divisão na sociedade, entre quem foi vacinado e quem não foi. Isso, para mim, é assustador", falou. Djokovic não estava com covid-19 antes da última edição do torneio (acabou contaminado em 2020), mas o fato de um caso ter sido diagnosticado em seu voo para a Austrália, o obrigou ao período de quarentena no hotel.

"Que alguém seja julgado se quer decidir se vai se vacinar ou não. Isso me deixa desapontado com a sociedade. Não vou revelar se sou vacinado ou não, é um assunto privado. O que quer que você diga, a mídia espalhará o medo entre as pessoas", alegou. "Não quero participar dessa guerra. Eu quero ir para a Austrália, mas não sei se vou. Só isso."

Depois de perder a final do US Open para Daniil Medvedev, no começo de setembro, Djokovic se afastou nas quadras e dos holofotes para descansar. Apenas agora o líder do ranking voltou aos trabalhos. "Comecei a treinar agora. Já fazia muito tempo que não pegava em uma raquete pela última vez. Tenho treinado minha condição física, mas foi só agora que voltei a jogar tênis."

Trabalhando forte, a expectativa é que o sérvio mude de ideia e tente buscar o 10° título no Australian Open no início de 2022. Vai depender de como as autoridades australianos definirem suas medidas de combate ao covid-19.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;