Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

79% dos brasileiros gostam da ideia de abrir mão do dinheiro vivo, diz PayPal

Orlando Filho/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


18/10/2021 | 13:01


Quase 80% dos brasileiros gostam da ideia de não precisar utilizar dinheiro físico para realizar pagamentos, segundo pesquisa da PayPal divulgada nesta segunda-feira, 18. Ao todo, 79% dos entrevistados do País disseram ser simpáticos à ideia, mais do que os índices registrados na China (72%), Estados Unidos (58%) e Alemanha (40%), os outros três países em que a pesquisa foi feita.

Os brasileiros também ficaram entre os que demonstram o maior interesse no uso de uma possível futura moeda digital criada pelo Banco Central local. 93% deles se disseram "extremamente" ou "de certa forma propensos" a aderir a uma criptomoeda oficial, perdendo apenas para os chineses (99%).

Na Alemanha e nos EUA, os índices foram de 77% e de 73%, respectivamente. Os índices foram mais altos, segundo a PayPal, entre os chamados "millennials" (pessoas nascidas entre 1981 e 1996), mas foram expressivos entre todos os participantes.

Para Leonardo Sertã, Head de Desenvolvimento de Mercados do PayPal para a América Latina, o contexto brasileiro explica o entusiasmo local por pagamentos e moedas digitais. "Estamos acompanhando o grande entusiasmo com o PIX, que pode ter influenciado positivamente a percepção acerca da digitalização, deixado a população mais aberta e interessada por uma criptomoeda de um Banco Central", diz ele.

Ainda de acordo com o levantamento, em quase 50% das situações, os entrevistados nos quatro países relataram ainda utilizar dinheiro em pagamentos que fazem no dia a dia. No Brasil, o índice é de 38%. No País, 57% das pessoas disseram estar utilizando menos dinheiro físico desde o início da pandemia da covid-19, que impulsionou as transações digitais. Somente na China (64%), a queda na adesão ao dinheiro físico foi maior.

Por outro lado, 26% dos brasileiros também relataram querer utilizar mais dinheiro vivo em 2021 do que em 2020, número maior que o dos demais países. A PayPal afirma que entre as conveniências citadas pelos entrevistados estão a ausência de taxas sobre os pagamentos em dinheiro, a facilidade de uso em qualquer lugar, a capacidade de controlar melhor os gastos e o anonimato.

A pesquisa também mediu o grau de entusiasmo com a adesão a soluções de identidade digital, que seriam um pré-requisito para o uso de moedas digitais criadas pelos BCs. China e Brasil, novamente, mostraram os maiores graus de possível adesão - de 70% e de 57%, respectivamente. Nos Estados Unidos e na Alemanha, cerca de 71% dos entrevistados relataram preferir continuar portando documentos físicos de identificação.

O levantamento da PayPal, chamado "Terceira Onda de Inovação Fintech", entrevistou 4.000 pessoas nos quatro mercados para entender como os consumidores estão acessando os serviços financeiros, e como as tecnologias podem melhorar este acesso.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;