Fechar
Publicidade

Sábado, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Há 'longo caminho' para formar governo alemão, diz líder do partido Verde

Divulgação/Departamento de Estado por Ron Przysucha/Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


09/10/2021 | 14:26


Um dos líderes do partido Verde alemão, Robert Habeck, diz que as discussões para a formação de um novo governo têm "um longo caminho a percorrer" e terão de superar diferenças políticas significativas.

Os social-democratas de centro-esquerda, os ambientalistas verdes e os democratas livres pró-negócios realizaram sua primeira rodada de negociações na quinta-feira (7) sobre uma possível coalizão. Se eles finalmente tiverem sucesso, a aliança enviará o bloco da União de centro-direita da chanceler Angela Merkel para a oposição após seus 16 anos liderando a maior economia da Europa.

Mais conversas estão programadas para segunda e terça-feira. Mas o processo de formação de um novo governo pode levar semanas ou meses na Alemanha e Merkel permanecerá no cargo enquanto isso.

"Temos um longo caminho a percorrer e será muito árduo", disse Robert Habeck, à rádio Deutschlandfunk em uma entrevista transmitida neste sábado, 9. "E o público verá que há alguns conflitos entre os possíveis parceiros da coalizão. "

Habeck identificou as finanças como uma questão particularmente difícil nas negociações - incluindo questionamentos sobre como financiar investimentos no combate às mudanças climáticas e abordagens para lidar com a dívida que os países europeus acumularam durante a pandemia do novo coronavírus.

Nas últimas décadas, os democratas livres se aliaram principalmente à União, enquanto os verdes tradicionalmente se inclinaram para a esquerda. Uma aliança tríplice com os social-democratas foi tentada com sucesso na Alemanha em nível estadual, mas ainda não em um governo nacional.

Se as negociações resultarem em uma coalizão, o social-democrata Olaf Scholz - vice-chanceler do governo de Merkel - se tornaria o novo líder da Alemanha. A União está turbulenta depois que Armin Laschet, o governador do Estado da Renânia do Norte-Vestfália, levou o bloco bipartidário ao pior resultado eleitoral de todos os tempos em 26 de setembro. Fonte: Associated Press.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;