Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Quatro municípios da região omitem gastos com pandemia

Nario Barbosa/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Diadema, Mauá, Ribeirão e Rio Grande esconderam dados pedidos pelo Diário; outras
três cidades investiram quase R$ 1 bi


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

05/10/2021 | 01:00


Quatro cidades do Grande ABC, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, omitiram os gastos que tiveram durante a pandemia da Covid. O Diário questionou na quinta-feira todas as administrações da região e apenas os paços de Santo André, São Bernardo e São Caetano retornaram à demanda, informando o dispêndio de R$ 928 milhões para o combate ao coronavírus.

O gasto equivale ao período de março de 2020, quando a OMS (Organização Mundial da Saúde) emitiu alerta de pandemia, até setembro. Estão inclusos no valor desde a manutenção de centros médicos, testes para detectar a Covid e até campanhas para motivar a população a se vacinar.

Das prefeituras que responderam ao questionamento do Diário, São Bernardo foi a cidade que mais empenhou recursos para combater o avanço do coronavírus. Desde o início da crise sanitária, o Paço da cidade empenhou R$ 487 milhões na luta contra a doença. Ainda que seja o município que mais despendeu valores, São Bernardo foi a única entre as três cidade que não instalou hospital de campanha.

Todo o valor gasto na pandemia em São Bernardo, equivale a 9,5% do orçamento que foi aprovado para o ano de 2019, quando o município não atravessava momento de crise sanitária. Naquela ano, o Legislativo aprovou peça orçamentária de R$ 5,1 bilhões.

Santo André aparece na segunda colocação de gastos para combater a Covid. Desde o ano passado a cidade liquidou R$ 252 milhões para impedir o avanço da doença. A Prefeitura andreense chegou a implementar três hospitais de campanha – no Estádio Bruno Daniel. no ginásio da UFABC (Universidade Federal do ABC) e no Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia. Somente o valor destinado no combate ao coronavírus equivale a 10,3% do orçamento aprovado para cidade em 2020, que foi de R$ 2,4 bilhões. No ano passado, por exemplo, o município empenhou R$ 123,79 milhões e liquidou, ou seja, gastou R$ 113,3 milhões. Já até o mês de setembro de 2021, Santo André empenhou R$ 168,37 milhões e liquidou R$ 138,7 milhões.

O Paço de São Caetano, somente no combate à Covid, despendeu R$ 189,8 milhões desde o início da pandemia. Do valor total, R$ 82.874.306 foram empenhados no ano passado e o restante, R$ 121,8 milhões neste ano. O valor equivale a 15% de todo o orçamento da cidade que foi aprovado para este ano, no valor de R$ 1,161 bilhão. São Caetano também manteve hospital de campanha até setembro.

ORÇAMENTOS DE SAÚDE

O valor utilizado por Santo André para o combate da crise sanitária equivale a 39,3% do orçamento que foi destinado à pasta de Saúde em 2020, que foi de R$ 640 milhões. Já em São Bernardo, o total empenhado pela administração equivale a 41,2% do montante destinado à Saúde na peça orçamentária aprovada para este ano, que foi de R$ 1,18 bilhão. Por fim, em São Caetano, o valor destinado ao combate do novo coronavírus equivale a 44,2% do montante destinado à secretaria de Saúde, que foi de R$ 427,1 milhões.  



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;