Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Astrônomo amador de S.Caetano filma colisão em Júpiter

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pereira captou momento em que asteroide se chocou com maior planeta do Sistema Solar


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

26/09/2021 | 00:01


Diz o ditado popular que não há distância capaz de se tornar obstáculo para realização de um sonho. Nem mesmo se esse trajeto for de 928 milhões de quilômetros. Pelo menos esse é o pensamento do astrônomo amador e morador de São Caetano José Luis Pereira, 60 anos, que desde 2008 desejava filmar a colisão de algum tipo de objeto celestial no planeta Júpiter, o maior do Sistema Solar. No dia 13 de setembro, após 13 anos, o sonho do observador de estrelas foi concretizado. 

Pereira se juntou a apenas outros nove astrônomos amadores que conseguiram, desde 1994 e com equipamento próprio, filmar impacto em Júpiter. Esse fato coloca a astronomia amadora brasileira em evidência no mundo, já que até artigos científicos sobre o evento cósmico está em fase de confecção.

Pereira assegura que ter filmado o evento não foi questão do acaso, mas sim de dedicação e de disciplina. “Observo o planeta Júpiter desde 2008, quando conheci um projeto que une astrônomos amadores e profissionais que se debruçam em observar tanto Júpiter quanto Saturno, com intenção de avistar algum impacto nesses dois planetas. Desde então, toda vez que há noite clara, lá estou eu com meu equipamento realizado observação”, declarou.

A imagem do objeto se chocando com o planeta Júpiter rodou o mundo. Pereira disse acreditar que um pequeno asteroide acabou se trombando no planeta – corpo esse com estimativa de tamanho entre 20 a 50 metros de diâmetro. Os dados ainda estão sendo processados para saber quais a força do impacto e velocidade do objeto, por exemplo. Esses números serão entregues dentro de 20 dias.

Nem mesmo o tempo fechado desanimou o astrônomo de São Caetano a montar o equipamento na noite do dia 12 de setembro, véspera do feito. Pereira relatou que estava desanimado, já que não poderia observar o planeta do jeito que desejava, mas as nuvens foram se dissipando e, em questão de minutos, Júpiter e todo o universo apareceram nas lentes de Pereira. Ele não hesitou com os sinais da reviravolta do tempo. 

“Mesmo nesse dia consegui fazer 40 gravações do planeta, mas não os analisei na hora, decidi ir dormir porque já era tarde. Assim que acordei, no primeiro vídeo que vi, pude perceber que havia o que parecia ser uma colisão. Meu coração disparou na hora. Será que tinha atingido meu sonho?”, declarou o astrônomo. “E tinha.” 

A esfera científica se animou. Evento semelhante a esse é raro. Uma das mais famosas colisões espaciais conhecidas ocorreu em 1994, também no maior planeta do nosso sistema. O asteroide conhecido como Shoemaker-Levy 9 se chocou com o globo. Ele havia sido descoberto em 1993 e foi o primeiro cometa a ser avistado ao redor de outro mundo. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;