Fechar
Publicidade

Sábado, 20 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Palestinos pedem libertação de reféns europeus no Iraque


Da AFP

12/09/2004 | 19:00


A Autoridade Palestina e o grupo radical Jihad Islâmica fizeram um apelo, neste domingo, pela libertação das duas reféns italianas e de dois jornalistas franceses em poder de grupos extremistas no Iraque.

"Pedimos a libertação de todos os civis seqüestrados no Iraque, principalmente os dois profissionais franceses e as duas cidadãs italianas", anunciou a Autoridade Palestina em comunicado divulgado pela agência de notícias Wafa.

Já um porta-voz oficial do governo iemenita pediu domingo uma libertação "rápida e sem condições" das duas jovens tomadas como reféns como parte de um "ato terrorista", que contraria os princípios do Islã.

"A ação contraria também os valores morais e humanitários", acrescentou o porta-voz do governo do Iêmen, exprimindo simpatia com as famílias das duas jovens e com o povo italiano.

Seqüestradores - Um site islâmico divulgou na manhã deste domingo um comunicado atribuído a um grupo desconhecido até agora, a Jihad (Guerra Santa) Islâmica no Iraque, no qual dá um ultimato de 24 horas ao governo da Itália para que retire suas tropas do país, ameaçando executar as duas italianas caso a medida não seja adotada.

"Após o fim do ultimato de 12 horas que fixamos a Silvio Berlusconi (chefe do Governo italiano), renovamos este ultimato para 24 horas a partir da publicação deste comunicado e, caso as tropas não sejam retiradas, vamos aplicar o julgamento de Deus e degolar as duas reféns".

O texto atribui ao governo italiano "a total responsabilidade" pelo que possa acontecer às reféns italianas, além de reafirmar o compromisso em dar "continuidade à luta até a retirada de todos os infiéis do Iraque".

Simona Torretta e Simona Pari, que trabalhavam para a organização não-governamental "Uma ponte para Bagdá", foram seqüestradas na terça-feira passada em pleno centro da capital iraquiana, junto com um casal de colaboradores locais. Até o momento este seqüestro havia sido reivindicado por uma organização desconhecida, Ansar al-Zawahiri (Os seguidores de Ayman al-Zawahiri, braço direito de Osama bin Laden).

No início do mês, um comunicado das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, um grupo armado ligado ao Fatah, havia feito um apelo pela libertação dos dois jornalistas franceses Christian Chesnot e Georges Malbrunot.

Yasser Arafat e os principais movimentos palestinos, entre eles os islamitas do Hamas e da Jihad islâmica, também apelaram várias vezes pela libertação dos dois franceses.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Palestinos pedem libertação de reféns europeus no Iraque

Da AFP

12/09/2004 | 19:00


A Autoridade Palestina e o grupo radical Jihad Islâmica fizeram um apelo, neste domingo, pela libertação das duas reféns italianas e de dois jornalistas franceses em poder de grupos extremistas no Iraque.

"Pedimos a libertação de todos os civis seqüestrados no Iraque, principalmente os dois profissionais franceses e as duas cidadãs italianas", anunciou a Autoridade Palestina em comunicado divulgado pela agência de notícias Wafa.

Já um porta-voz oficial do governo iemenita pediu domingo uma libertação "rápida e sem condições" das duas jovens tomadas como reféns como parte de um "ato terrorista", que contraria os princípios do Islã.

"A ação contraria também os valores morais e humanitários", acrescentou o porta-voz do governo do Iêmen, exprimindo simpatia com as famílias das duas jovens e com o povo italiano.

Seqüestradores - Um site islâmico divulgou na manhã deste domingo um comunicado atribuído a um grupo desconhecido até agora, a Jihad (Guerra Santa) Islâmica no Iraque, no qual dá um ultimato de 24 horas ao governo da Itália para que retire suas tropas do país, ameaçando executar as duas italianas caso a medida não seja adotada.

"Após o fim do ultimato de 12 horas que fixamos a Silvio Berlusconi (chefe do Governo italiano), renovamos este ultimato para 24 horas a partir da publicação deste comunicado e, caso as tropas não sejam retiradas, vamos aplicar o julgamento de Deus e degolar as duas reféns".

O texto atribui ao governo italiano "a total responsabilidade" pelo que possa acontecer às reféns italianas, além de reafirmar o compromisso em dar "continuidade à luta até a retirada de todos os infiéis do Iraque".

Simona Torretta e Simona Pari, que trabalhavam para a organização não-governamental "Uma ponte para Bagdá", foram seqüestradas na terça-feira passada em pleno centro da capital iraquiana, junto com um casal de colaboradores locais. Até o momento este seqüestro havia sido reivindicado por uma organização desconhecida, Ansar al-Zawahiri (Os seguidores de Ayman al-Zawahiri, braço direito de Osama bin Laden).

No início do mês, um comunicado das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, um grupo armado ligado ao Fatah, havia feito um apelo pela libertação dos dois jornalistas franceses Christian Chesnot e Georges Malbrunot.

Yasser Arafat e os principais movimentos palestinos, entre eles os islamitas do Hamas e da Jihad islâmica, também apelaram várias vezes pela libertação dos dois franceses.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;