Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Ribeirão Pires desmonta definitivamente o Hospital de Campanha

Divulgação/ PMRP Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Equipamento foi aberto em abril de 2020 e não recebe pacientes desde 31 de julho


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

22/09/2021 | 15:53


Atualizada àxs 22h45

A Prefeitura de Ribeirão Pires decidiu encerrar definitivamente as atividades do hospital de campanha montado no Ginásio Ozires Grecco para dar suporte para a rede municipal de saúde durante a pandemia da Covid. O equipamento não recebe pacientes desde 31 de julho, já que os 16 leitos disponíveis na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Santa Luzia, sendo cinco de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), dez de enfermaria e um de isolamento, têm dado conta da demanda atual. A desmontagem dos leitos começar até o dia 30.

O hospital de campanha teve início em abril de 2020, logo no começo da pandemia, e custava, em média, R$ 1 milhão por mês aos cofres municipais. A cidade teve dificuldade para manter a estrutura ativa e durante a crise sanitária recorreu ao governo do Estado e ao Consórcio Intermunicipal do Grande ABC em busca de ajuda financeira. Mesmo sem pacientes, o hospital consumia cerca de R$ 200 mil por mês e isso foi determinante para a decisão de desmontar o equipamento, além da baixa demanda.

“Desde a desmobilização do hospital, mantivemos média de internados entre dois a cinco pacientes no máximo, o que nossa atual estrutura montada no complexo hospitalar da UPA Santa Luzia comporta sem maiores dificuldades”, explicou o secretário municipal de Saúde, Audrei Rocha.

Responsável pelo atendimento dos casos de Covid na cidade, o médico Antônio Carlos André de Castro também defende o encerramento das atividades da unidade hospitalar. “Nossas projeções estão dentro da média de dois a três pacientes, o que não justifica manter toda aquela estrutura erguida. Assim, o dinheiro do custo mensal poderá ser indicado para outros investimentos na área da saúde”, destacou.

Ao lado de São Caetano, Ribeirão Pires superou a marca de 70% dos moradores adultos vacinados com as duas doses dos imunizantes contra a Covid, o que também deve fazer diminuir a pressão no sistema de saúde da cidade. De acordo com números do boletim divulgado ontem pela Prefeitura, a cidade tem 74,8% dos munícipes com 18 anos ou mais totalmente imunizados.

OUTRAS CIDADES
Com o fechamento do hospital de campanha de Ribeirão Pires, a única estrutura provisória para tratar a Covid no Grande ABC é a do Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia, em Santo André, já que São Caetano também decidiu encerrar seu hospital de campanha no dia 15 de setembro.

O equipamento andreense não recebe pacientes desde o início de setembro, mas a Prefeitura, por precaução, mantém a estrutura montada. Em agosto a administração decidiu fechar o hospital de campanha do ginásio da UFABC (Universidade Federal do ABC).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;