Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Alanis Guillen será Juma no remake de Pantanal



20/09/2021 | 14:10


Juma Marruá está de volta e, desta vez, na pele de Alanis Guillen! A atriz, de 23 anos de idade, foi escalada para interpretar a icônica personagem no remake de Pantanal, mais de 30 anos depois da versão original - que deve estrear a partir de 2022. Durante o anúncio, feito no último domingo, dia 19, no Fantástico, Guillen disparou:

A Juma vai ter sangue, ela pulsa. A Juma pra mim ela é o Pantanal, ela é essa natureza viva. Vamos recontar essa história no Brasil de hoje, esse Pantanal de agora, para o brasileiro de hoje. Então realmente está sendo uma missão ali pra todo mundo assim. Eu estou realmente entregue e muito.

Inclusive, Bruno Luperi, autor da nova versão da novela, revelou que a atriz escolhida para interpretar Juma precisava ter uma característica indispensável: o olhar da onça.

Olhei para ela e pensei: é exatamente o que precisamos. Bochecha, nariz, boca, olhar e talento. Ela tinha tudo. A Juma está ali ao extremo, um eu rudimentar. No contraste com o eu urbano. Juma vai descobrir no primeiro contato com Jove o que é o amor. E ela vai se encantar por um homem que é feminino em sua essência. E, por isso, ele é a única pessoa que ela deixa chegar perto. É um encontro que vem para trazer aprendizado e transformar, com carinho, atenção e respeito.

O primeiro - e único - trabalho de Alanis na televisão foi em Malhação: Toda Forma de Amar. Sobre a preparação para esta nova fase, ela conta:

Está sendo um processo. Estou tendo um tempo muito gostoso pra acessar e digerir cada etapa. Adentrando essa história, me deixando ser penetrada, entendendo a voz, o corpo, os impulsos... Comecei por um estudo arquetípico, de mesa, e depois fiz algumas experiências pro meu corpo registrar informações que eu, Alanis, não tinha, mudei alguns hábitos, comecei a praticar Kung Fu, tive aulas de equitação, prosódia, entre outras coisas. Cada dia é precioso nesse processo todo. Principalmente, algumas dificuldades. Nunca tinha cavalgado. Então, o aprendizado foi desde o início aprendendo a montar, a relação com esse animal que eu não tinha muita intimidade, entender meu corpo ali, como cavalgar com uma arma na mão, segurando com apenas um braço.

A artista nunca conheceu o Pantanal, e não vê a hora das gravações começarem:

São muitas, a ansiedade me leva a cada lugar...Tem a expectativa de chegar ao Pantanal pela primeira vez; tem também esse lugar que a novela ocupa no imaginário de todo mundo. Eu sinto e sei que é uma missão gigantesca contar essa história, nesse momento, desse lugar, nesse Brasil de hoje, para as pessoas do Brasil de hoje. Em algum lugar as coisas vão se encaixando e eu sei que eu vou dar conta. Estou me preparando muito nos âmbitos pessoal e profissional. São muitas mudanças. E que bom! Fora a felicidade e gratidão imensa por trabalhar com pessoas que tanto admiro e ansiosa pra tudo que vou aprender nessa jornada.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;