Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Caixa anuncia redução de 0,4 ponto porcentual em linha de crédito imobiliário

André Henriques/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


16/09/2021 | 19:23


A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira, 16, a redução de 0,4 ponto percentual na taxa de juros da linha de crédito imobiliário com correção atrelada à poupança. A partir de sábado, 18, será possível contratar financiamento pela modalidade com juros a partir de 2,95% ao ano, somadas à remuneração da caderneta.

Esse movimento vai na contramão das sucessivas altas da taxa básica de juros, a Selic, e também dos aumentos feitos pelos concorrentes nas linhas de crédito tradicionais, como mostrou reportagem do Estadão. Santander, Bradesco e Itaú Unibanco aumentam em cerca de um ponto porcentual as taxas dos financiamentos imobiliários tradicionais (corrigidos pela TR).

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, a redução foi possível porque a Caixa registrou R$ 300 bilhões contratados na atual gestão e segue como o maior financiador da casa própria no país, com 67% de participação do mercado. Em agosto de 2021, foram R$ 14 bilhões em novos contratos, sendo o mês de maior contratação da história da Caixa.

Na coletiva, Guimarães afirmou que o banco tem mais de R$ 200 bilhões em títulos públicos, que remuneram a Selic. Por este motivo, quanto maior a taxa básica de juros, maior o ganho do banco, disse. "Nós vamos reduzir o spread (diferença entre o que o banco paga para captar e o que cobra do cliente), especificamente na linha de poupança", garantiu.

Nesta linha específica, com correção atrelada à poupança, o Itaú já tinha reduzido a taxa esta semana de 3,45% para 2,99% ao ano e o Bradesco manteve os juros em 2,99% ao ano. Mas, neste caso, essa parcela é somada à variação da remuneração da poupança, que corresponde à 70% da Selic. E quando a taxa básica de juros aumenta, essa parcela acompanha.

O Banco Central iniciou em março um ciclo de aperto nos juros básicos, elevando a Selic da mínima histórica de 2% para o patamar atual de 5,25% ao ano. Na próxima semana o Comitê de Política Monetária se reúne novamente, sendo que as sinalizações mais recentes do BC apontavam para novo aumento de 1 ponto porcentual nos juros.

Sobre o programa para os profissionais de segurança pública, o Habite Seguro, Guimarães afirmou que a Caixa irá direcionar R$ 5 bilhões para esses empréstimos subsidiados nos próximos quatro meses, mas que poderá elevar esse montante para de R$ 10 bilhões a 15 bilhões se houver demanda.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;