Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

CBF envia à Fifa defesa sobre Brasil x Argentina suspenso pelas Eliminatórias

Divulgação/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


13/09/2021 | 22:21


A CBF enviou nesta segunda-feira a sua defesa para o julgamento da suspensão de Brasil x Argentina, válido pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar. O documento foi encaminhado para a Fifa no último dia do prazo. O Comitê Disciplinar da entidade máxima do futebol mundial abriu procedimento na semana passada para apurar o caso.

A informação foi divulgada inicialmente pelo UOL e confirmada pelo Estadão. A CBF teve seis dias para apresentar sua defesa a partir da abertura do procedimento disciplinar pela Fifa. O prazo se encerraria no domingo, mas, por ser fim de semana, foi prolongado e a Fifa aceitou o documento nesta segunda.

A CBF, por meio de seu departamento jurídico, elaborou uma série de documentos para provar que não foi a culpada pela suspensão da partida na Neo Química Arena, em São Paulo. Foram apenas cinco minutos jogados até agentes da Agência Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Polícia Federal entrarem em campo para interromper o jogo, posteriormente suspenso.

No documento enviado à Fifa, a CBF usou registro de reuniões que antecederam a partida e os relatórios do árbitro do duelo, o venezuelano Jesús Valenzuela, e delegado da partida, o colombiano Juan Hernández. A entidade tenta mostrar que fez a sua parte como mandante, como alertar os argentinos sobre as regras sanitárias vigentes no País.

A CBF já havia emitido duas notas oficiais sobre o episódio, uma delas, mais contundente, no dia seguinte à partida. Nela, a entidade afirmou ter enviado três avisos aos argentinos sobre as regras sanitárias nos dias 5 de julho, 11 de agosto e 2 de setembro. Ao mesmo tempo, a CBF confirmou que estava presente na reunião que a Anvisa teve com representantes argentinos e da Conmebol, na véspera do jogo.

No encontro, a agência apontou o descumprimento das regras por parte dos argentinos e determinou a quarentena dos jogadores Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero. O quarteto entrou de forma irregular no Brasil porque não teriam informado que estiveram no Reino Unido nos 14 dias anteriores. De acordo com a portaria interministerial nº 655, de 23 de junho de 2021, viajantes estrangeiros que tenham passagem, nos últimos 14 dias, por Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia estão obrigados a cumprir quarentena para evitar a disseminação de novas variantes do coronavírus no Brasil.

De acordo com a confederação brasileira, os argentinos descumpriram as orientações da Anvisa durante o próprio encontro, em que as autoridades brasileiras explicavam que os quatro jogadores deveriam estar em quarentena, após entrarem de forma irregular no País. O quarteto, segundo a Anvisa, também prestou informações falsas no formulário de declaração de saúde do viajante.

A entidade insiste que a seleção brasileira não deixou o gramado do estádio corintiano após intervenção da Anvisa, demonstrando que poderia seguir com o jogo, enquanto os argentinos não voltaram mais do vestiário.

Os argentinos, por sua vez, alegam que a culpa pela suspensão da partida é das autoridades brasileiras, o que, na sua avaliação, deve gerar punição à seleção brasileira com a perda de três pontos na tabela das Eliminatórias. A argumentação deve se centrar na interferência externa, o que geralmente causa a punição do time da casa.

A Fifa enquadra a situação no artigo 14 do seu Código Disciplinar, que trata de jogos abandonados ou que não foram concluídos. O item prevê como punição mínima uma multa de 10 mil francos suíços, equivalente a R$ 56 mil. E pode definir que a partida será retomada ou dada como derrota para um dos lados.

Depois de instaurar os procedimentos para investigar o episódio, a Fifa disse que a "as duas seleções foram solicitadas a fornecer mais informações sobre os fatos que levaram à suspensão da partida, que serão coletadas e, em seguida, analisadas exaustivamente pelo Comitê Disciplinar".



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;