Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Prefeitura de Mauá torna obrigatória vacina
contra Covid-19 para servidores públicos

Tânia Rego/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Funcionários têm de apresentar carteirinha ou declaração médica que contraindique a imunização até o fim do mês


Anderson Fattori
Thainá Lana
Do Diário do Grande ABC

01/09/2021 | 19:23


A Prefeitura de Mauá publicou decreto que obriga os servidores públicos municipais a se imunizarem contra a Covid. O documento foi publicado na terça-feira no Diário Oficial da cidade e estabelece o prazo de até 30 de setembro para que os funcionários entreguem comprovante vacinal ou declaração médica que detalhe a contraindicação da vacina para não serem punidos. Medidas semelhantes foram tomadas pela prefeitura de São Paulo e pela Câmara de São Caetano.

De acordo com o decreto de Mauá, em caso de recusa da vacinação sem justa causa, os servidores serão impedidos de permanecer em seus locais de trabalho e terão falta atribuída até que a situação seja regularizada. Segundo o documento, após 30 faltas consecutivas será aberto um processo administrativo para apurar responsabilidade funcional.

Os servidores poderão comprovar a situação vacinal regular de três maneiras: por meio do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19, plataforma Conecte SUS (Sistema Único de Saúde) Cidadão ou ainda pelo próprio comprovante de imunização.

O decreto deixa claro que a falta disciplinar grave somente não será aplicada com apresentação de atestado médico atualizado que comprove a contraindicação da vacina, com nome do médico, carimbo e número de registro do CRM (Conselho Regional de Medicina) e certificação digital.

“Acreditamos na vacina. De forma contrária ao que o presidente (Jair Bolsonaro - sem partido) fala, acreditamos que a vacina deveria ter chegado antes. Infelizmente morreram mais de 500 mil pessoas. É obrigação nossa de ofertar o imunizante e, enquanto governo, orientar o trabalhador para ser imunizado e proteger a vida dos nossos moradores e de todas as pessoas ao redor deles. Desde o funcionalismo mais administrativo até aqueles que atendem à população”, comentou o prefeito Marcelo Oliveira (PT).

O chefe do Executivo disse que a determinação já está em vigor e não haverá tolerância. “Assinou está valendo. Vamos começar a pedir a ficha da vacinação. O decreto vem ao encontro de poder dar segurança para os funcionários da Prefeitura e também para os munícipes”, explicou Oliveira, que não soube dizer quantos servidores ainda não foram imunizados contra a Covid na cidade. “Não dá para saber o número disso (de funcionários que se recusam a tomar o imunizante). Tem um ou outro que fala que não vai tomar. Se não tomar fica em casa sem salário”, determinou o petista.

Mauá é apenas a sexta colocada entre as sete cidades do Grande ABC no Vacinômetro, que acompanha o ritmo da imunização contra a Covid na região. Até ontem, de acordo com dados enviados pela Prefeitura, 65,1% dos moradores haviam iniciado o esquema vacinal, enquanto que 19,6% estavam com a proteção contra a Covid completa, ou seja, com as duas doses ou com o imunizante da Janssen, que é de aplicação única.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;