Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Cannabis medicinal vai de polêmica à solução

Ale Cabral/ CPB Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Um dos princípios ativos da maconha, canabidiol ajuda atletas de alta performance em Tóquio


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

30/08/2021 | 00:01


A medicina é aliada do esporte há muito tempo. Os avanços tecnológicos auxiliaram no desenvolvimento de roupas, calçados, equipamentos e tratamentos que fizeram com que os atletas pudessem chegar o mais perto possível do limite para alcançar os melhores resultados. Outro avanço é relativo aos medicamentos, entre eles a cannabis medicinal para esportistas de alto rendimento. 


APROVADO. Bronze no revezamento 4x50 m na Paraolimpíada
de Tóquio, nadador Talisson Glock faz uso da substância para
combater insônia 

Se tempos atrás o auxílio de produtos à base de canabidiol (ou CBD), um dos princípios ativos da Cannabis sativa – que é o nome científico da maconha – era controverso, atualmente é bastante recomendado, com a utilização de competidores na atual edição dos Jogos Olímpicos Paraolímpicos de Tóquio, no Japão – primeiros destes eventos desde que a substância foi retirada da lista de substâncias proibidas por doping.

Artigo publicado em junho de 2020 no periódico Sports Medicine aponta que o CBD realmente pode promover efeitos fisiológicos, bioquímicos e psicológicos potencialmente benéficos para os atletas, segundo Maria Tereas Jacob, integrante da SCC (Society of Cannabis Clinicians, ou sociedade clínica da cannabis) e da IACM (International Association for Canabinoid Medicines, ou associação internacional para remédios à base da cannabis). 

“O uso do CBD antes do treino diminui o estresse em aproximadamente 80% e aumenta a concentração na atividade física. Após a atividade, o uso do CBD ajuda a diminuir a dor e acelerar a recuperação muscular graças às suas propriedades analgésicas, anti-inflamatórias, regenerativa e relaxante muscular, eliminando também as câimbras. Outro ponto importante é que o CBD melhora o sono e, atualmente, está bem estabelecida a importância do sono na regeneração muscular.”

Um dos atletas da delegação olímpica a utilizar a substância foi o maratonista Daniel Chaves, que trata síndrome bipolar depressiva com o CBD. Já na Paraolimpíada fazem uso do canabidiol os nadadores Talisson Glock, Susana Schnarndorf e Roberto Alcalde. 

“Tem me ajudado demais na recuperação entre os treinos, no descanso e na qualidade do sono. É um composto completo e acredito que cada dia mais vai estar presente na vida dos atletas”, destacou Glock, que foi medalha de bronze no revezamento 4x50 m livre em Tóquio, na quarta-feira da semana passada. Ele buscou na substância uma solução para a insônia e percebeu melhora no desempenho esportivo. “Tem me ajudado demais na recuperação entre os treinos, no descanso e principalmente na qualidade do sono”, emendou o atleta, que disputou ontem os 50 m borboleta classe S6 e ainda disputará mais três provas na piscina japonesa.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;