Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Após matéria no Diário, familiares conseguem transferir paciente de hospital

Celso Luiz/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

28/08/2021 | 17:39


Atualizada às 19h31

Após denúncia veiculada no Diário de que o paciente Luis Fernando Batista, 51 anos, estaria sofrendo maus tratos no HMD (Hospital Municipal de Diadema) Piraporinha, o homem conseguiu transferência para o Hospital São Paulo, na Capital.

Batista estava há quase 90 dias internado no equipamento de saúde municipal e os familiares do paciente informaram o Diário de que o homem estava abandonado em um dos quartos do hospital, sem sequer receber banho diário. Os filhos do paciente ainda relataram foram informados pela equipe de funcionários de que o paciente estaria recebendo medicamentos que não serviriam para o seu tratamento.

Internado inicialmente para tratar de quadro de Covid-19, o homem, por ficar muito tempo deitado na cama acabou contraindo escaras – ferimentos que aparecem em certas parte do corpo. Uma destas feridas acabou infeccionando, o que agravou o quadro do paciente.

Preocupados com a vida de Batista e chocados com a situação do homem, os familiares pediram para que o paciente fosse removido para outro equipamento de saúde. Para isso, conseguiram duas liminares que exigiam a remoção imediata do paciente, sob condição de que, caso houvesse desobediência da decisão, o HMD teria que pagar R$ 1.000 por dia até concluir a transferência do paciente.

Esta é a segunda vez, entretanto, que o homem segue para o Hospital São Paulo. Batista já tinha ido ao equipamento de saúde para possível intervenção cirúrgica para tratar dos ferimentos na pele, mas após avaliação médica o paciente retornou ao HMD.

O filho de Luís Fernando, o analista de contas Vinicius Caetano Batista, 29 anos, comenta que depois de sua transferência, Luís já fez nova avaliação e realizou alguns exames. "A expectativa é a de que ele melhore. Só queremos que ele tenha tratamento decente e seja bem tratado, o que não estava acontecendo nesses últimos dias", declara. 

Ainda neste sábado, ainda segundo o filho, Luís estava agitado e ficou sabendo da transferência ''em cima da hora''. "Só avisaram que a ambulância estava chegando e que ele sairia do hospital", completa Vinícius. Mais cedo, Luís tomou banho na unidade de Diadema mas não tinha feito a dieta necessária do tratamento e nem a fisioterapia. 

De acordo com Vinícius, o documento do hospital de Luís constava a remoção do paciente da unidade de Diadema para uma nova avaliação na unidade de São Paulo e não como transferência. "Encaminhado para avaliação na referência de complexidade adequada", informa laudo. 

POSICIONAMENTO - A Prefeitura de Diadema confirmou a transferência de Luis via Cross (Central de Regulação de Serviços de Saúde) e informou que ''''''''não foi arbitrada nenhuma multa ao município'''''''' sobre esse caso. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;