Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Pesquisa do IBGE revela o prejuízo educacional dos brasileiros com deficiência

Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


26/08/2021 | 10:37


Na mesma semana em que o ministro da Educação, Milton Ribeiro, criticou a presença de crianças deficientes em salas de aula, a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do IBGE revelou o tamanho da lacuna educacional desse contingente da população brasileira. Segundo o estudo divulgado nesta quinta-feira (26), 67% da população com alguma deficiência não tinham instrução alguma ou tinham apenas o ensino fundamental incompleto. Entre as pessoas sem deficiências, esse porcentual é de 30%. Na terça-feira (24), em entrevista concedida à rádio Jovem Pan, o ministro afirmou "nós não queremos o inclusivismo" e defendeu a separação dos alunos com deficiência.

Na mesma terça-feira foram abertas as Paralimpíadas de Tóquio, um dos mais emblemáticos exemplos mundiais de inclusão das pessoas com deficiência. E embora os atletas brasileiros tenham bom desempenho nos jogos, a PNS mostrou que a realidade cotidiana do País é bem mais dura.

A pesquisa revela que o déficit educacional desse contingente da população se reflete diretamente no mercado de trabalho. Apenas 28% das pessoas com deficiência e em idade de trabalhar estavam na força de trabalho (que inclui os ocupados e os que estão buscando emprego), contra 66% daquelas sem deficiência.

"Esta menor participação na força de trabalho ocorre em todas as grandes regiões do País, mas é ainda mais acentuada nas regiões Sul e Sudeste", afirmou a pesquisadora do IBGE Maíra Lenzi, que apresentou os resultados.

Segundo o IBGE, os brasileiros com alguma deficiência somam 17,3 milhões de pessoas ou 8,4% da população em geral. Cerca de 3% tinham deficiência visual; 1% apresentavam deficiência auditiva (sendo que apenas a minoria dominava a Língua Brasileira de Sinais); e outros 1% tinham deficiência mental. Cerca de 3% apresentavam deficiência física dos membros inferiores e outros 2% dos membros superiores.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;