Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Ednaldo Rodrigues assume provisoriamente e vira 7º presidente da CBF em 10 anos

Lucas Figueiredo/CBF Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


25/08/2021 | 17:38


Enquanto aguarda pela definição sobre a suspensão ou não por mais um ano de Rogério Caboclo - afastado do comando da entidade desde o início de junho por decisão da Comissão de Ética -, a CBF escolheu nesta quarta-feira (25) um novo presidente interino. Trata-se de Ednaldo Rodrigues, que substitui o coronel Antônio Carlos Nunes.

A ascensão de Rodrigues à presidência amplia uma contagem pouco positiva no comando do futebol nacional. Ele é o sétimo a assumir o cargo de presidente da CBF em dez anos. Oficialmente, cada mandato é de quatro anos.

A mudança desta vez foi decidida após reunião do Conselho de Administração, formado pelos oito vice-presidentes da entidade. E isso aconteceu devido a um fato pitoresco: o afastamento temporário de um presidente da CBF não está previsto no estatuto da entidade.

Na terça-feira, a Comissão de Ética apresentou parecer pedindo que Rogério Caboclo seja suspenso de suas atividades por mais um ano. Acusado de assédios moral e sexual por uma funcionária, Caboclo viu a denúncia ser transformada em "conduta inapropriada" pela comissão.

Para a punição ser aplicada, porém, ela precisa ser referendada por 21 dos 27 presidentes de federações. Ocorre que, pelo menos até que isso aconteça - a Assembleia Geral Extraordinária precisa ser remarcada e não acontecerá antes da próxima semana -, o cargo ficou vago.

"Como o Estatuto Social da CBF não prevê a forma de substituição do Presidente em caso de afastamento temporário, como o que presentemente ocorre, visto que tal substituição não está contemplada nas hipóteses do art. 61 (ausência, licença ou impedimento), nem tampouco na hipótese do art. 62 (vacância) e considerando que, uma vez afastado, o Presidente fica privado da prática de qualquer ato administrativo, todos os Vice-Presidentes da entidade - únicos possíveis substitutos - dispuseram formalmente de seu direito de substituição temporária em favor do Vice-Presidente Ednaldo Rodrigues Gomes, que assume interinamente a presidência", diz nota da confederação.

Na última década, a CBF já foi comandada por Ricardo Teixeira (renunciou em 2012), José Maria Marin (passou o bastão para Marco Polo del Nero em 2015 e depois foi preso); o próprio Marco Polo del Nero (pediu licença em 2015 e acabou banido pela Fifa em 2018); Marcus Vicente (provisoriamente em 2015 e início de 2016); Antônio Carlos Nunes (assumiu de forma provisória em 2016 e posteriormente foi efetivado até 2019, além destes últimos meses) e Rogério Caboclo (de abril de 2019 até seu afastamento, em junho). Agora, chegou a vez de Ednaldo Rodrigues - ao menos até o Conselho de Administração ou a Assembleia Geral optar por nova troca.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;