Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Gabriel Araújo leva prata e conquista primeira medalha do Brasil na Paralimpíada

Reprodução/Instagram Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


25/08/2021 | 08:15


O nadador Gabriel Araújo conquistou a primeira medalha na Paralimpíada de Tóquio-2020. Araújo foi medalha de prata na final dos 100 metros costas da classe S2 (para atletas com funções limitadas nas mãos, tronco ou pernas). O ouro ficou com o chileno Alberto Albarza e o bronze com o russo Vladimir Danilenko.

Araújo teve uma saída muito forte, abrindo certa vantagem para os competidores. Porém, já na virada da prova, Abarza estava próximo e conseguiu ultrapassá-lo durante a segunda parte da prova. O brasileiro, contudo, conseguiu segurar a vantagem para Danilenko e garantir a prata, com o tempo final de 2min02s47.

Após a conquista da medalha, uma cena legal: o brasileiro foi até a raia ao lado cumprimentar o medalhista de ouro Abarza, com bastante felicidade, e recebeu um abraço em retorno.

Em entrevista para o SporTV após a medalha, o brasileiro dedicou a medalha ao avô, falecido na semana passada, admitiu ter ficado com gostinho de "quero mais" e prometeu buscar o ouro nas duas provas que ainda disputa nesta Paralimpíada.

Araújo tem apenas 19 anos e já e considerado uma das apostas do Brasil para a Paralimpíada de Paris-2024. Na semifinal, havia avançado com o quarto tempo (2min09s73) e conseguiu melhorar bastante na final para conquistar a medalha.

Antes dele, o Brasil já havia chegado na final dos 100 metros costas da classe S1 (atletas com tetraplegia) com José Ronaldo. O brasileiro ficou em quinto lugar, com o tempo de 3min03s18. O ouro ficou com o israelense Iyad Shalabi, prata com Anton Kol da Ucrânia e bronze para o italiano Francesco Bettella.

BRONZE - O Brasil já tem uma medalha de cada cor no primeiro dia da Paralimpíada: após Gabriel Araújo conquistar a prata na classe S2 e Gabriel Bandeira levar o ouro nos 100 metros borboleta na S14, foi a vez de Phelipe Rodrigues conquistar o bronze nos 50 metros livre da classe S10 (para atletas com deficiências físicas ''''menores'''', como a perda de uma mão).

Phelipe fez o tempo de 23s50. O australiano Rowan Crothers venceu a prova e levou o ouro, com Maskym Krypak, da Ucrânia, vindo logo atrás com a prata.

Assim como Bandeira e Araújo, Phelipe melhorou o tempo em relação à semifinal, diminuindo sua marca em 24 centésimos de segundo. O brasileiro também havia avançado com o terceiro melhor tempo das eliminatórias, repetindo o desempenho na final.

Esta foi a oitava medalha de Phelipe em Paralimpíadas. O brasileiro conquistou duas pratas em Pequim-2008, uma prata em Londres-2012, e duas pratas e dois bronzes na Rio-2016. Em Tóquio, ainda compete nos 100 metros livre.

Na final dos 100 metros borboleta classe S13 (deficientes visuais), o brasileiro Douglas Matera ficou na sétima colocação, com o tempo de 58s53. O ouro foi do bielorrusso Ihar Boki, que foi tricampeão paralímpico da prova.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;