Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Mercedes-Benz vende a fábrica de automóveis de Iracemápolis

Mercedes-Benz/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Companhia reitera que operações continuam normalmente na unidade de São Bernardo, que produz caminhões


Yara Ferraz

18/08/2021 | 12:05


A Mercedes-Benz anunciou a venda da fábrica de automóveis premium de Iracemápolis, no Interior do Estado, para a chinesa Great Wall Motors. A montadora alemã reiterou que a decisão não traz qualquer impacto para a produção de ônibus, caminhões e agregados (câmbio, motor e eixos) em São Bernardo.

“Não teremos interferência em nosso plano de investimento da Mercedes-Benz do Brasil (caminhões e ônibus). O atual ciclo é de R$ 2,4 bilhões entre 2018 e 2022 e segue mantido”, destacou, em nota.

A venda da fábrica, que inclui terreno de 1,2 milhão de metros quadrados, juntamente com todos os prédios e os equipamentos de produção, faz parte da estratégia da Mercedes-Benz AG para otimizar a rede de produção.

“Com a transformação da companhia e o realinhamento da capacidade produtiva da nossa rede global de produção, estamos aumentando de forma sustentável a nossa eficiência. Com a Great Wall Motors, encontramos um comprador que dará à fábrica de Iracemápolis e região uma nova perspectiva para o futuro”, disse Jörg Burzer, integrante do conselho de administração da Mercedes-Benz AG, responsável pela gestão da cadeia de produção e abastecimento.

A empresa também confirmou que todos os proprietários de automóveis premium da marca Mercedes-Benz no Brasil continuarão a ser atendidos pelas mais de 50 concessionárias espalhadas por todo o País.

De acordo com o consultor da Oikonomia Consultoria Automotiva Raphael Galante, pelo volume de carros comercializados pela marca, a importação é melhor alternativa do que manter uma unidade fabril. “Até a Volvo, que acaba vendendo um volume maior do que a Mercedes, exporta”, disse ele, que complementou que não há impacto na unidade de São Bernardo, até porque os consumidores possuem perfis totalmente diferentes, assim como a demanda de veículos pelo mercado.

Além de São Bernardo, o Grupo Daimler AG mantém as unidades de Campinas (peças e serviços ao cliente, reman e global trainning), no Interior de São Paulo, e Juiz de Fora (cabinas de caminhões), em Minas Gerais. O campo de provas e o centro de testes, que está sendo construído em parceria com a Bosch, ambos em Iracemápolis, também não serão afetados.

 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;