Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Preços de tomate, cenoura e alface avançaram no atacado em julho, diz Conab

Nario Barbosa/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


17/08/2021 | 11:35


Os preços de hortaliças comercializadas nas principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) apresentaram avanço em julho em decorrência das geadas que atingiram o Brasil. As principais altas foram as de tomate, cenoura e alface, informa a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no 8º Boletim do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort), divulgado nesta terça-feira, 17.

A pesquisa da Conab considera as cinco hortaliças (batata, cenoura, cebola, tomate e alface) com maior representatividade na comercialização nas principais Ceasas do País e que registram maior destaque no cálculo do índice de inflação oficial (IPCA).

A cenoura teve mais de 50% de alta nos mercados atacadistas em cinco Estados analisados. Em Vitória (ES), o avanço alcançou 64,57%. A queda na quantidade de cenouras nos mercados analisados foi de quase 10% na comparação com junho e de 6% ante julho/2020 em decorrência das baixas temperaturas e do intervalo entre a safra de verão e a de inverno, que está começando. "Para o início de agosto, os preços continuam em níveis elevados, porém menores do que os registrados em julho", informa a Conab em comunicado.

Já o tomate, segundo o órgão, deve continuar se valorizando no atacado, impulsionado pelas baixas temperaturas que atrasam a colheita e reduzem a oferta. Em julho, houve também geadas.

Cebola e batata foram na direção contrária e recuaram no mês passado. A batata foi pressionada pela oferta farta até meados de julho - este mês, porém, a tendência é de alta nos preços, segundo a Conab, porque as geadas alteraram os produtos que serão colhidos. O preço da cebola caiu porque a produção em Goiás, Minas Gerais e São Paulo aumentou.

Frutas

As frutas, em geral, também se valorizaram por causa do tempo mais frio, de acordo com a Conab. "Com isso, os preços permaneceram em bons patamares, mesmo na presença de demanda fraca", afirma o órgão. O mamão registrou alta nos preços por causa da oferta restrita. Já a banana teve oscilações de preços a depender da demanda no varejo e da intensidade de vendas da variedade prata.

Índice de preços da Ceagesp

O Índice de Preços da Ceagesp, usado para medir variações no entreposto de São Paulo, terminou julho com avanço de 11,2% motivado por geadas no Centro-Sul do Brasil. Mesmo assim, no acumulado do ano, o resultado ainda é de queda de 8,4%. A expectativa é de preços firmes em agosto com a volta às aulas.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;