Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Sedãs de entrada da Mercedes, Classe A 200 e C 200 EQ Boost abrem porta para novo mundo

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

10/08/2021 | 14:02


Foi-se o tempo em que veículos sedãs eram generalizados como "carros de tiozão", ou seja, que por suas características conservadora e clássica acabavam estereotipados para uma parcela bem específica de consumidores: homens, de meia-idade e que aproveitavam o possante para viajar aos finais de semana - e, às vezes, até tirar uma onda. No entanto, tal situação ficou para trás e a Mercedes-Benz aposta em uma dupla neste formato que une luxo, conforto, tecnologia e também esportividade, abrangendo seu público-alvo, casos do Classe A 200 Sedan e do C 200 EQ Boost.

Ambos são os sedãs de entrada da montadora alemã. Entrada, esta, para um novo mundo, é verdade. Só por carregar na carenagem a marca Mercedes-Benz, já faz com que o motorista esteja noutro patamar. E com tudo aquilo que estes modelos trazem debaixo do capô e dentro do cockpit, não tem como negar. Se ainda assim quiserem estereotipar quem estiver ao volante, sem dúvida será como um "tiozão com estilo". E dinheiro, claro.

Cada um representa uma família da Mercedes. De um lado, o Classe A 200 Sedan, a partir de R$ 286.900. De outro, o C 200 EQ Boost, que parte de R$ 279.900. Ou seja, valores bastante similares, para carros de porte parecido, mas que têm suas diferenças tanto na aparência quanto no funcionamento.

Com design mais arrojado, até para dar sequência ao hatch da família que tem cara de invocado, o Classe A 200 Sedan porta motor 1,3 turbo de 163 cv e 25,5 kgfm. Já o C 200 EQ Boost, com suas linhas estéticas mais serenas (nem por isso menos belas), conta com um motor elétrico - apesar de não poder ser chamado propriamente de híbrido, uma vez que o propulsor não funciona sozinho em nenhum momento para tracionar o carro. Ainda assim, serve para dar ainda potência (14 cv e 160 Nm de torque) ao convencional (turbocompressor de 1,5 litro), economizar - mesmo que pouco - combustível, recuperando energia nas frenagens, bem como diminuir o tempo de troca automática de marchas.



Do lado de dentro, os dois esbanjam tecnologia. Com paineis similares, com a grandiosa tela destacada como um tablet, central multimídia com conectividade com Android Auto/Apple CarPlay, touchpad e diversas entradas USB, deixam os ocupantes bastante confortáveis e podendo desfrutar de cada ida e vinda à bordo. O Classe A ainda conta com o sistema multimídia inteligente e intuitivo MBUX (Mercedes-Benz User Experience), com controle vocal inteligente com reconhecimento de fala.

E se tem uma característica de sedã que é muito valorizada é o tamanho do porta-malas, equivalentes nos primos alemães: 430 litros no Classe A e 455 no C 200. Sendo assim, a escolha vai mesmo por gosto.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;