Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Furtos e roubos amedrontam moradores da Vila Guiomar

Claudinei Plaza/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

10/08/2021 | 05:14


O professor Angelo Andreetto, 52 anos, estava dormindo quando o alarme de sua residência disparou. Pela janela da sala avistou um homem saindo correndo de dentro do carro de sua mulher, que estava estacionado na garagem, mas não estava trancado. Também professora, Danielle Alcantarilha Luiz, 42, flagrou um homem tentando furtar o portão da sua casa, durante o dia. Quando saiu para a calçada, foi atingida por sacos de lixo e o agressor fugiu. Furtos e assaltos como esses têm sido rotina na vida dos moradores da Vila Guiomar, em Santo André.

Os munícipes afirmam que as vias do bairro têm se transformado em nova “cracolândia”, em referência às regiões centrais da cidade de São Paulo onde grandes multidões se reúnem para o consumo de droga, quase sempre crack, durante o dia e à noite. Nas ruas Almeida Garret, Capuchinhos, Paula Souza, Antonio Cubas, furtos de portões, lixeiras, botijões e registros de gás, fiação, entre outros objetos, têm sido frequentes. Também há ações mais violentas, como assaltos à mão armada e invasões de residências.

Os moradores se organizam em grupos do Whatsapp para trocar informações, já fizeram abaixo-assinados pedindo maior presença policial, mas até agora, eles têm visto suas expectativas serem frustradas. “A gente nota que a coisa piorou no fim do ano passado”, afirmou Andreetto. “A sensação que a gente tem é que passou a eleição, diminuiu o policiamento”, completou.

Danielle, que quase entrou em luta corporal com o homem que tentava furtar o seu portão, já tinha sido vítima de um assalto à mão armada há cerca de dois anos e meio. “A gente percebe que essas pessoas estão tomando conta de cada vez mais ruas. Andam o tempo todo atrás de alguma coisa para roubar e manter o vício”, declarou.
A manicure Elizabeth Rodrigues Lemos de Oliveira, 49, já soube de vizinhos que foram alvo de furtos e roubos e teme pela possibilidade de um dia ser a próxima vítima. “Aqui na região, quase todos os prédios estão sem as portas das lixeiras, porque foram levadas”, afirmou. “Tinha um terreno onde iam fazer uma horta comunitária, levaram tudo e ainda entram nas casas pulando o muro”, completou.

Longe de ser apenas questão de segurança, o problema mostra grande ferida social, destacou compradora Karina Araújo Melo de Souza, 29. “A gente se sente inseguro, mas sabemos que a solução passa por fazer alguma coisa por essas pessoas, talvez uma clínica de recuperação”, comentou. “Acredito que mais viaturas circulando pelo bairro durante a noite, e não apenas em um ponto, também ajudaria”, cobrou a jovem, que diz que as viaturas ficam apenas nas imediações do Sesc (Serviço Social do Comércio), na Rua Tamarutaca.

SSP destaca a importância de se registrar BOs

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Estado de São Paulo informou que o policiamento preventivo e ostensivo na região é realizado pelo 10º BPM/M (Batalhão de Polícia Militar Metropolitano) e será reforçado. A pasta afirmou que as polícias Civil e Militar atuam continuamente e de maneira integrada para combater as modalidades criminosas na região da Vila Guiomar, em Santo André, e que o batalhão também analisa periodicamente índices criminais para estabelecer planos de prevenção de delitos.

 A pasta destacou que o registro do BO (Boletim de Ocorrência) é imprescindível para que os casos sejam investigados e os autores dos crimes sejam presos. A comunicação dos fatos pode ser feita em qualquer unidade territorial ou pela delegacia eletrônica (www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br). Segundo o comunicado, de janeiro a junho as ações integradas na região resultaram na prisão de 72 pessoas no 4º DP de Santo André, responsável pela área, e que 132 veículos foram recuperados e 18 ocorrências de tráfico de drogas foram registradas na unidade. 

 A Prefeitura de Santo André informou que a GCM (Guarda Civil Municipal) realiza diversas ações de fiscalização e manutenção da ordem na região, pelo menos três vezes por semana, apoiando também ações sociais e limpeza pública. A administração disse, por meio de nota, que ações recentes da guarda resultaram na prisão de quatro pessoas por prática de crimes contra o patrimônio privado. 

 Além disso, o Paço andreense informou que a população em situação de rua recebe assistência de saúde por meio do consultório de rua, que inclui vacinação contra Covid-19.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;