Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Consórcio questiona Enel sobre reclamações na região

André Henriques/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Desde 2020, foram 4.112 registros nos procons do Grande ABC; entidade regional vai se reunir com empresa neste mês


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

05/08/2021 | 00:01


O Consórcio Intermunicipal do Grande ABC questionou a Enel São Paulo, concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica no Grande ABC, em ofício, sobre o aumento de reclamações relacionadas ao serviço. Desde o ano passado, foram pelo menos 4.112 reclamações registradas nos procons da região.

Conforme dados do Sindec (Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor), disponibilizados pelo Consórcio, foram registradas 1.904 reclamações em 2019, número que saltou 58,67% em 2020, totalizando 3.021. Neste ano, os dados já preocupam porque somam 1.091 até junho.

De acordo com o secretário executivo do Consórcio, Acácio Miranda, o Procon regional agrega os números dos sete municípios, o que permitiu confirmar aumento considerável de reclamações. “A partir daí, notificamos a companhia para que explicasse os problemas, assim como apresentasse uma solução, além de um panorama sobre o assunto. Eles responderam, mas a resposta foi a mais genérica possível”, disse o executivo, informando que o documento foi enviado em 16 de julho e respondido no dia 29 de julho.

Segundo ele, o principal problema alegado na região é a cobrança incorreta. Reclamação que aumentou no ano passado, quando a companhia fez uma média de consumo dos clientes para fazer a cobrança, já que os funcionários não estavam saindo durante os primeiros meses da pandemia.

“Em relação às contas enviadas em duplicidade, eles disseram que houve um erro. Mas também foram inúmeros casos, inclusive com pessoas que ficaram negativadas. Outro problema foi em relação ao corte de energia, que não poderia ser feito durante o período da pandemia”, enumerou o secretário executivo.

Ainda neste mês, o Consórcio deve se reunir novamente com a ouvidoria da Enel, inclusive com participação da Fundação Procon. “Caso estes assuntos (diminuição das reclamações para os próximos meses e a resolução dos casos) não sejam resolvidos na reunião, os procons devem acionar o Ministério Público. Nosso único objetivo é trabalhar em prol da população”, disse Miranda.

Questionada, a Enel informou que no primeiro semestre deste ano registrou redução de 36% no volume de reclamações no Grande ABC em comparação ao último semestre do ano passado, “com demanda levemente acentuada devido ao acúmulo de consumo após a retomada de leitura em campo, a partir de junho de 2020”, informou, em nota. No mesmo período, a companhia identificou mudança no perfil de consumo dos clientes, e que 74% das reclamações apresentadas pelos procons do Grande ABC estão relacionadas às contas, e que após análise, 90% são improcedentes. 

A distribuidora reforçou que está em contato com o Consórcio para esclarecer os questionamentos dos consumidores da região e que, em resposta ao ofício, explicou sobre “o andamento das solicitações durante o avanço da pandemia e esclareceu sobre as formas de tratativas e análises das reclamações”.

A companhia oferece canais digitais para atender aos clientes, como o Aplicativo Enel SP: disponível para celulares; o site https://www.eneldistribuicaosp.com.br/; WhatsApp (21) 99601-9608; call center: 0800 72 72 120, além das lojas físicas.

O Consórcio orienta que os consumidores também procurem o Procon, caso não consigam resolver alguma demanda relacionada à companhia. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;