Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 21 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de NY fecham mistas, em pregão volátil, com discursos do Fed e dados



04/08/2021 | 18:14


As bolsas de Nova York fecharam mistas nesta quarta-feira. O pregão foi marcado pela volatilidade, com discursos de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) sobre previsões para o 'tapering', processo de retirada de estímulos na economia, e elevação da taxa de juros. Além disso, dado de empregos no setor privado dos Estados Unidos abaixo do esperado e outros indicadores mistos de atividade econômica foram monitorados pelos investidores.

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,92%, aos 34.792,67 pontos e o S&P 500 caiu 0,46%, aos 4.402,66 pontos. Já o Nasdaq registrou ganho de 0,13%, aos 14.780,53 pontos.

No início da sessão, os índices já se mostravam voláteis, puxados pela queda no setor de energia. Com forte baixa no petróleo nesta quarta, ConocoPhillips (-3,02%), ExxonMobil (-2,34%) e Chevron (-2,24%) encerraram em território negativo.

O Relatório Nacional de Emprego ADP, dos Estados Unidos, informou que o setor privado criou 330 mil vagas no mês de julho, resultado bastante abaixo dos 653 mil previstos por analistas. "A grande falha com o ADP levantou preocupações de que a variante delta esteja tendo um impacto maior na economia", disse o analista da Oanda, Edward Moya, "A recuperação do mercado de trabalho é extremamente desigual e sugere que a economia continua tendo dificuldades para adequar os indivíduos às atuais vagas de trabalho." Segundo Moya, um fator sazonal pode contribuir para um resultado acima do esperado no payroll, que será divulgado nesta sexta-feira, 6.

As bolsas ganharam fôlego após o Instituto para Gestão da Oferta (ISM, na sigla em inglês) registrar alta no índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços americano em julho. O resultado, porém, contrariou a queda do PMI informada pouco antes pela IHS Markit.

Ao longo do dia, contudo, os índices acionários pioraram enquanto os juros dos Treasuries batiam máximas - alta que não se sustentou até o fim da sessão.

O vice-presidente do Fed, Richard Clarida, afirmou nesta quarta que se vê apoiando o anúncio de 'tapering' ainda neste ano, caso suas previsões econômicas se concretizem. As condições para altas de juros, por sua vez, podem ser alcançadas até o fim de 2022, na visão dele, o que abriria caminho para o aperto monetário em 2023.

"As ações dos EUA despencaram depois que os comentários 'hawkish' do vice-presidente do Fed, Clarida, reabriram a porta para um possível anúncio do 'tapering' no Simpósio de Jackson Hole no final do mês", destaca Moya, da Oanda.

O presidente do Fed de St. Louis, James Bullard (não vota), defendeu que o banco central americano atue "antes e mais rápido" no 'tapering' e que este processo seja concluído até o fim do primeiro trimestre de 2022. À Reuters, o presidente da distrital de Dallas, Robert Kaplan (não vota), disse que os EUA devem começar a reduzir seu programa de compra de títulos "em breve" e gradualmente.

Em relação aos balanços divulgados nesta quarta, a General Motors (-8,69%) anunciou lucro líquido de US$ 2,8 bilhões no segundo trimestre, acima da expectativa dos analistas consultados pelo Wall Street Journal. No entanto, o resultado ficou aquém de outras estimativas do mercado.

Os papéis da Robinhood, por sua vez, saltaram 50,41%. Analistas especulam que a alta seja resultado de mais um movimento especulativo de "ações meme", como o que já ocorreu com a GameStop e a AMC.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;