Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de NY fecham mistas, após virada de Dow Jones e S&P 500 com Treasuries



02/08/2021 | 18:25


As bolsas de Nova York operaram em alta durante boa parte do pregão deste segunda-feira, mas perderam fôlego à tarde e fecharam mistas. O movimento ocorreu em meio ao aumento da demanda por Treasuries, cujos juros recuaram ao menor nível desde fevereiro. No radar dos investidores, estiveram indicadores econômicos, o avanço do pacote de infraestrutura no Senado americano e o debate sobre o teto da dívida nos Estados Unidos.

No fechamento, Dow Jones recuou 0,28%, a 34.838,16 pontos, o S&P 500 caiu 0,18%, a 4.387,16 pontos, e o Nasdaq avançou 0,06%, a 14.681,07 pontos.

Perto do encerramento da sessão, os investidores aceleraram a venda de ações, o que aumentou a perda de fôlego das bolsas. O movimento coincidiu com uma entrevista de Christopher Waller, diretor do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), à CNBC.

O dirigente atrelou a redução dos estímulos monetários ao desempenho do mercado de trabalho americano. Segundo ele, se o payroll de julho e o de agosto mostrarem melhora do emprego no país, a instituição pode começar a reduzir as compras de ativos, processo chamado de "tapering", em outubro.

Ao longo da tarde, os juros dos Treasuries renovaram mínimas intraday sucessivas e chegaram ao menor nível em 6 meses, em meio ao debate sobre o teto da dívida, regra fiscal que voltou a vigorar nos EUA devido a um impasse entre a Casa Branca e o Congresso.

Em comunicado após o fechamento do mercado, a secretária do Tesouro, Janet Yellen, informou que o governo adotou "medidas emergenciais" para cumprir o teto. Na avaliação da Oxford Economics, contudo, esses recursos devem se esgotar no final de setembro. "Nesse ponto, o Tesouro precisaria fazer cortes drásticos nos tamanhos dos leilões de títulos, o que seria perturbador para os mercados", avalia a economista Nancy Vanden Houten.

No S&P 500, o subíndice do setor de materiais liderou as quedas (-1,17%), seguido pelo do setor industrial (-0,73%) e pelo de energia (-0,71%). Este último foi influenciado pela forte queda do barril do petróleo hoje.

As bolsas americanas chegaram a operar em alta firme no começo da sessão, embaladas pelo pregão positivo na Europa e na Ásia. Durante a madrugada e parte da manhã, os investidores deixaram de lado as preocupações com a variante delta do coronavírus e com o cerco regulatório da China ao setor privado do país e compraram ações.

Durante a semana, o mercado acompanhará o avanço do pacote de infraestrutura bipartidário, que pode ser aprovado nos próximos dias no Senado, e novos resultados trimestrais de empresas.

"Lucros fortes têm sido um fator importante para o desempenho do mercado de ações deste ano e a temporada de balanços do segundo trimestre tem sido, em sua maior parte, muito encorajadora", dizem analistas da LPL Financial.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;