Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Cidades do interior de SP interrompem vacinação contra covid por falta de doses



14/07/2021 | 08:08


Ao menos 30 cidades do interior e do litoral de São Paulo interromperam a vacinação contra a covid-19 nesta terça-feira, 13, por falta de doses do imunizante. A escassez maior aconteceu na aplicação da segunda dose da vacina Oxford/Astrazeneca. Em Santos, moradores enfrentaram filas e protestaram contra a interrupção na imunização. A Secretaria da Saúde do Estado informou que as prefeituras precisam planejar as vacinações de forma sincronizada com o cronograma estadual para evitar a falta de doses.

Em Santos, a vacinação prevista para esta terça foi suspensa depois que as doses da Astrazeneca se esgotaram, na segunda-feira, 12, duas horas após o início da aplicação. A prefeitura tinha aberto a vacinação com a 2ª dose em apenas dois postos e antes da abertura dos portões já havia filas. Informados de que as doses tinham acabado, muitos moradores protestaram. A Guarda Civil Municipal reforçou a segurança.

A prefeitura informou que não recebeu do governo estadual quantidade suficiente da Astrazeneca para atender a todos que esperavam a 2ª dose. Quem não conseguiu ser vacinado, recebeu senha para não ter de enfrentar nova fila. O município disse ter entrado em contato com o governo estadual e estava na expectativa da chegada de um novo lote de vacina para completar a imunização.

Ainda no litoral, a vacina acabou também em Praia Grande e no Guarujá. Praia Grande suspendeu a aplicação da 1ª dose, mantendo apenas a aplicação da 2ª dose da Astrazeneca. A prefeitura do Guarujá suspendeu a aplicação da 1ª e 2ª doses da Astrazeneca no Ginásio Guaibê, o principal posto de vacinação, depois que os estoques acabaram. No entanto, a vacinação ainda prosseguia com doses da Coronavac e da Pfizer.

Interior

No interior paulista, a prefeitura de Pindamonhangaba suspendeu a vacinação depois que até as doses usadas para rescaldo de quem não tinha completado a imunização acabaram. Outras cidades do Vale do Paraíba, como São José dos Campos e Taubaté, estavam sem doses para avançar o calendário de vacinação e faziam a repescagem de faixas etárias já vacinadas. A região estava na expectativa da chegada de 118 mil doses liberadas pelo governo estadual.

Em Itapeva, a prefeitura divulgou comunicado na tarde de segunda informando que o estoque de vacinas para a 1ª dose estava zerado. "Assim que o município receber mais doses do Estado, imediatamente será divulgado nas páginas oficiais da prefeitura o cronograma de vacinação", informou. Faltou vacina também em Riversul, Cesário Lange, Itapetininga e Sarapuí, na mesma região.

Em algumas cidades a vacinação está adiantada em relação ao cronograma estadual, mas há outras em atraso. Em Ourinhos, a vacinação de pessoas a partir de 36 anos foi iniciada na segunda e paralisada na terça por falta de doses. Na mesma região, Bernardino de Campos, Bastos, Paraguaçu Paulista e Cândido Mota interromperam a imunização por falta de vacina.

Rio Claro suspendeu a vacinação de pessoas com 36 anos após as doses acabarem. Em Catanduva, a prefeitura comunicou a suspensão da 1ª dose, mas continuava aplicando a 2ª em que já tinha agendado. São José do Rio Preto retoma nesta quarta-feira, 14, a aplicação da 2ª dose da Astrazeneca - a cidade antecipou em dois dias a primeira dose e houve descompasso com o cronograma de envio do imunizante. Na região, outras dez cidades pararam de vacinar por falta de vacina.

Estado explica

A coordenadora do Plano Estadual de Imunização, Regiane de Paula, disse que, em um Estado com 645 municípios, podem acontecer faltas pontuais de vacina, o que não compromete o programa de vacinação. Segundo ela, é importante que as prefeituras procurem seguir o calendário estadual. "O programa de imunização manda as doses 1 e 2 em grades separadas e no tempo oportuno, conforme o calendário. Toda vez que uma cidade antecipa a 1ª dose, a prefeitura terá de administrar essa situação lá na frente para que a 2ª dose seja dada no prazo", disse.

A coordenadora lembrou que o Estado também acompanha o cronograma definido pelo Ministério da Saúde e mantém constantes tratativas para que os lotes de vacina venham no prazo. Nesta terça, São Paulo ultrapassou a marca de 60% dos adultos vacinados com pelo menos uma dose da vacina e de 20% com cobertura vacinal completa. Houve 21,8 milhões de aplicações da 1ª dose, o que representa 61,6% das pessoas com 18 anos ou mais, e 6,6 milhões de registros da 2ª dose, além de 827,8 mil doses aplicadas de dose única, com a vacina da Janssen. No total, 7,4 milhões de paulistas já estão com a imunização completa contra a covid-19.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;