Fechar
Publicidade

Domingo, 1 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Manifestação contra desidratação do Imasf reúne cerca de 300 veículos

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sindserv e usuários do instituto criticam decisão de Morando de retirar principal ativo da autarquia


Da Redação
Do Diário do Grande ABC

23/06/2021 | 15:14


Usuários do Imasf (Instituto Municipal de Assistência à Saúde do Funcionalismo) protestaram na manhã desta quarta-feira (23) contra a decisão do governo do prefeito Orlando Morando (PSDB) de desidratar a autarquia ao tirar do departamento a função de definição do plano de saúde dos servidores.

A manifestação se juntou a outras pautas críticas à administração, como o fechamento da Fundação Criança – processo travado por ordem judicial. Segundo organizadores, cerca de 300 veículos percorreram a região central da cidade, rumo ao Paço. Munidos de cartazes e apitos, manifestantes reclamaram muito da falta de diálogo do governo.

O ato foi organizado pelo Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos) de São Bernardo, pelo conselho eleito do Imasf e bancada de oposição a Morando, que se mobilizam para tentar barrar a mudança administrativa que reduz a força da autarquia. Na visão desse bloco, tirar do Imasf a decisão de escolha de empresa que presta serviço de saúde aos servidores é caminho para privatização ou fechamento do departamento, algo que a Prefeitura nega.

Presidente do Sindserv, Dinailton Cerqueira pediu audiência com o presidente da Câmara, Estevão Camolesi (PSDB), e com o prefeito para levar as pautas. Não recebeu retorno até o fechamento desta reportagem. “Estamos lutando pelos nossos direitos e estaremos nas ruas”, disse Dinailton.

Os vereadores Ana Nice (PT) e Getúlio do Amarelinho (PT) participaram do protesto. Ana Nice reclamou da pressão que surge na Câmara para votar projetos do Executivo, sem tempo hábil para análise. “Muitas vez recebemos o projeto em um dia e temos de votar no outro. Se nem a gente tem tempo de analisar, imagina a sociedade. O prefeito quer transferir tudo para a iniciativa privada. Até com os cemitérios municipais ele fez.”

Além de usuários do Imasf e funcionários da Fundação Criança, o Sindicato dos Vigilantes também organizou manifestação no Paço, sob alegação de demissão em massa de servidores da segurança de escolas municipais.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;