Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Oscar de diretor é dúvida


Ângela Corrêa
Do Diário do Grande ABC

23/02/2008 | 07:02


Apesar dos prêmios importantes que os irmãos Coen e Paul Thomas Anderson acumularam na temporada, nada é garantido na categoria melhor diretor no 80º Oscar, que será realizado neste domingo, em Los Angeles, às 22h30 (horário de Brasília). Nenhum dos cinco indicados têm Oscar de direção.

 
Por Onde os Fracos Não Têm Vez, Ethan e Joel Coen foram escolhidos os melhores no Bafta e nas premiações dos sindicatos dos atores (SAG) e diretores (Directors Guild of America). Anderson, por sua vez, ganhou o Urso de Ouro de Direção no Festival de Berlim.
 
Porém, o ex-pintor Julian Schnabel, que os deixou para trás no Globo de Ouro por O Escafandro e a Borboleta, tem ótimas chances. Surpresas também foram as indicações do roteirista Tony Gilroy (Conduta de Risco), estreando atrás das câmeras, e do independente Jason Reitman (Juno).
 
Ethan Coen (e), 50 anos, e Joel Coen, 53 anos, norte-americanosIndicados por Onde os Fracos Não Têm Vez. Ganhadores do Oscar de roteiro original em 1997 por Fargo.
De tão cúmplices, os irmãos são chamados de ‘Diretor de Duas Cabeças’. Até Matadores de Velhinha (2004), apenas Joel assinava a direção: o caçula era roteirista e ambos editavam as imagens. Joel, casado com a atriz Frances McDormand (‘oscarizada’ em Fargo), cortava grama na infância para comprar câmeras. A dupla caiu nas graças dos críticos rapidamente. O segundo filme, Arizona Nunca Mais (1987), cheio de humor negro, consagrou o estilo mordaz dos Coen.
 
Paul Thomas Anderson, norte-americano, 37 anosIndicado por Sangue Negro.
Ele mistura apuro técnico, câmera ágil e textos surpreendentes desde Boogie Nights (1997). O estilo alcançou o ápice no seguinte, Magnolia (1999) e o cineasta virou uma espécie de messias do alternativo em Hollywood. Atual ganhador do Urso de Prata do Festival de Berlim.
 
Jason Reitman, canadense, 30 anosIndicado por Juno
Filho do diretor Ivan Reitman (Um Tira no Jardim de Infância), Jason segue em circuito alternativo, como prova seu primeiro filme de repercussão, Obrigado por Fumar. Em 2007 foi curador de concurso de curtas no YouTube (o vencedor foi brasileiro Laços).
 
Julian Schnabel, norte-americano, 56 anosIndicado por O Escafandro e a Borboleta.
Schnabel dedicou-se à pintura antes de dirigir o primeiro filme, há 12 anos (não por acaso, Basquiat, sobre o pintor homônimo). Fez apenas mais três desde então: Antes do Anoitecer, o DVD de show de Lou Reed em Berlim e a co-produção EUA-França que o levou ao Oscar.
 
 

Tony Gilroy, norte-americanoIndicado por Conduta de Risco.
O roteirista Gilroy foi lembrado na Academia logo em sua estréia na direção. O thriller ambientado nos bastidores das grandes empresas também foi assinado pelo diretor, autor dos roteiros de O Advogado do Diabo, Armageddon e da trilogia Bourne.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;