Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

MPF é acionado para investigar fura-fila da vacina na FUABC

André Henriques/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Denúncia é protocolada por Palacio, que reclamou de blindagem e morosidade de apuração por parte da Prefeitura de São Caetano e Fundação do ABC


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

03/06/2021 | 13:50


O MPF (Ministério Público Federal) foi acionado para investigar a denúncia de fura-fila da vacinação contra a Covid-19 na FUABC (Fundação do ABC), caso mostrado pelo Diário em primeira mão em abril.

O ex-vereador e ex-prefeiturável Fabio Palacio (PSD) protocolou pedido de apuração por parte da promotoria federal, instalada em São Bernardo, para acompanhamento do caso. À ocasião, o Diário revelou que oito funcionários de setores administrativos da Fundação e com ligação com a presidente da instituição, Adriana Berringer Stephan, foram inclusos em lista de grupos prioritários da imunização.

“Fura-fila da vacina em São Caetano não dá para aceitar. Protocolei a denúncia para que o MPF investigue as oito pessoas que tomaram a vacina sem ser prioridade em São Caetano. A Fundação do ABC e a Prefeitura fazem trabalho para que o caso não seja investigado. A Câmara nem sequer abriu a comissão (que havia sido aprovada em plenário). A Prefeitura diz que montou sindicância, mas sem dar notícia do que está fazendo, sem transparência. É falta de respeito com você, morador, que aguarda o dia de tomar sua vacina e de vacinar seus pais. Vemos que a Prefeitura tem feito corpo mole para investigar”, sustentou o pessedista.

O Diário relatou que essas oito pessoas que furaram a fila da imunização pertencem a setores administrativos da Fundação, como departamentos jurídicos, de recursos humanos, de comunicação e de finanças. Seus nomes foram inclusos em lista enviada para o centro universitário da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC) como sendo profissionais que atuavam em hospitais.

A FUABC sustenta que esses colaboradores têm atuação na linha de frente do combate à Covid-19 e que, portanto, não houve burla à ordem determinada pelo PNI (Programa Nacional de Imunização). Diz, porém, que houve erro na classificação profissional dessas pessoas no envio da lista para a vacinação – à Câmara de Santo André, a Fundação reconheceu que foi ela que enviou a listagem de quem deveria receber as doses.

Depois da denúncia, sindicâncias foram instaladas na FUABC, FMABC, Prefeitura de Santo André (que cederia as doses aos trabalhadores da Fundação) e Paço de São Caetano. Até o momento, nenhum dos órgãos públicos divulgou o resultado da apuração. O assunto também é alvo de inquérito na Polícia Civil e no Ministério Público.

Em São Caetano, o vereador César Oliva (PSD), aliado de Palacio, tenta aprovar requerimentos em busca de informações acerca do caso, mas vê as sucessivas tentativas barradas pela base de sustentação do governo do prefeito Tite Campanella (Cidadania). Comissão especial que foi aprovada em maio pelo plenário não foi regulamentada e perdeu a validade para início dos trabalhos. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;