Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Com câncer, quadro de saúde de Bruno Covas é irreversível

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeito licenciado de São Paulo está sedado; ele foi diagnosticado com tumor em 2019


Do Diário do Grande ABC

14/05/2021 | 19:58


Na tarde desta sexta-feira (14), o prefeito licenciado Bruno Covas (PSDB), 41 anos, piorou muito seu estado de saúde. De acordo com boletim médico divulgado no início da noite, o quadro de Covas, que precisou ser sedado, é irreversível. Desde 2 de maio ele está internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, onde trata um câncer. Ele chegou a ser entubado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). O prefeito recebeu o diagnóstico de tumor na cárdia, região que liga o esôfago ao estômago, em outubro de 2019. Exames mais recentes indicaram que o tumor estava em metástase —foram encontrados novos pontos da doença no fígado e nos ossos.

Com o afastamento de Covas do cargo, o vice-prefeito, Ricardo Nunes (MDB), assumiu a Prefeitura de São Paulo no dia 4, por 30 dias.

Confira o boletim na íntegra:

O Prefeito Bruno Covas segue internado no Hospital Sírio-Libanês recebendo medicamentos analgésicos e sedativos. O quadro clínico é considerado irreversível pela equipe médica. Neste momento, encontra-se no quarto acompanhado de seus familiares. Ele está sendo acompanhado pelas equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. David Uip, Dr. Artur Katz, Dr. Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, Prof. Dr. Raul Cutait e pelo Prof. Dr. Roberto Kalil Filho.

Histórico

O prefeito descobriu que tinha câncer quando exames que vinham sendo realizados para investigar o surgimento de uma trombose apontaram a existência de três tumores - um no fígado, um na cárdia (a transição entre o estômago e o esôfago) e outro nos gânglios linfáticos. Os médicos atacaram a doença com imunoterapia e quimioterapia, e dois dos três tumores chegaram a desaparecer. O do fígado havia diminuído, mas ainda persiste.

 

Em fevereiro deste ano, os médicos identificaram um novo tumor no fígado, e ele retornou à quimioterapia. Entretanto, ao longo desta nova etapa do tratamento, a doença se mostrou mais agressiva, se espalhando para mais pontos do fígado e de seus ossos. A partir de abril, novas complicações debilitaram ainda mais a saúde do prefeito que, mesmo assim, sempre se manteve muito otimista e determinado a enfrentar a doença e permanecer com o tratamento.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;