Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

O futuro do automóvel


Do Diário do Grande ABC

12/05/2021 | 23:59


Foi muito celebrado – e não poderia ser diferente – o anúncio feito pela direção da General Motors de que a planta de São Caetano foi escolhida para montar a nova picape da marca. Com isso, postos de trabalho e recolhimento de impostos municipais devem ser preservados por algum tempo. Não dava, portanto, para deixar de festejar, e muito, a boa-nova. O ponto negativo, todavia, se dá pelo fato de que o projeto não traz nenhuma inovação tecnológica capaz de garantir a sobrevivência da unidade fabril são-caetanense quando se encerrar o ciclo de produção de automóveis impulsionados por combustível fóssil – o que deve ocorrer em cerca de uma década.

Já faz tempo que este Diário alerta para a necessidade de se estruturar o parque fabril automobilístico instalado no Grande ABC para a revolução energética que se avizinha. Carros movidos a gasolina devem ser extintos em pouquíssimo tempo, principalmente em países mais ricos e desenvolvidos. Motores acionados por eletricidade devem ocupar o vácuo, atingindo de morte a cadeia produtiva atual. Pela importância que o segmento possui para a geração do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, o Brasil deveria tratar o tema como prioridade.

Mas o que se vê, porém, são declarações entusiasmadas sobre produtos que estão com os dias contados. A indústria automobilística como é conhecida hoje é insustentável a longo prazo. Vai durar, no máximo, alguns anos. E a partir daí, o que será da economia do Grande ABC se não adequar seu parque fabril às novas exigências do mercado?

Outras nações do planeja já estão fazendo os ajustes necessários, preocupadas com o futuro. Por aqui, nenhuma palavra. Este assunto deveria interessar a todos os que se importam com o futuro socioeconômico das sete cidades. Especialmente aos sindicatos dos metalúrgicos e às secretarias municipais de orçamento. Se as fábricas de automóveis do Grande ABC se tornarem obsoletas, o que certamente vai acontecer em breve, faltarão empregos e dinheiro para movimentar a economia regional. Preocupante. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;