Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Divergências emperram reforma política, diz líder do PR


Da Agência Câmara

20/06/2007 | 14:00


O líder do PR na Câmara, deputado Luciano Castro (RR), afirmou nesta quarta-feira que o consenso para a votação do projeto que trata da reforma política ainda está longe de ser alcançado.

Segundo Castro, há um grupo que defende o começo da votação pelo projeto de lei complementar que torna inelegíveis por quatro anos os políticos eleitos que tenham mudado de partido nos quatro anos seguintes à sua diplomação. Há líderes que defendem um prazo de três anos.

Outro grupo, ainda segundo o líder do PR, quer começar a votação pelo sistema de listas partidárias — o principal ponto de divergência entre os partidos.

Diante do impasse, ele considera difícil retomar a discussão e a votação da proposta nesta semana. Castro informou, no entanto, que o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), não vai retirar a proposta de pauta.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Divergências emperram reforma política, diz líder do PR

Da Agência Câmara

20/06/2007 | 14:00


O líder do PR na Câmara, deputado Luciano Castro (RR), afirmou nesta quarta-feira que o consenso para a votação do projeto que trata da reforma política ainda está longe de ser alcançado.

Segundo Castro, há um grupo que defende o começo da votação pelo projeto de lei complementar que torna inelegíveis por quatro anos os políticos eleitos que tenham mudado de partido nos quatro anos seguintes à sua diplomação. Há líderes que defendem um prazo de três anos.

Outro grupo, ainda segundo o líder do PR, quer começar a votação pelo sistema de listas partidárias — o principal ponto de divergência entre os partidos.

Diante do impasse, ele considera difícil retomar a discussão e a votação da proposta nesta semana. Castro informou, no entanto, que o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), não vai retirar a proposta de pauta.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;